fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

‘De Repente uma Família’: história de adoção para rir e se emocionar

Por espculturadoria

28/11/2018 às 16:33

Publicidade - Portal UAI
Foto: Paramount Pictures / Divulgação

Por Ana C. A. Souza

Não é de se estranhar que os lançamentos estão recheados de temas natalinos, de redescoberta dos valores e da magia que essa época pode proporcionar. Surfando nisso, ‘De Repente uma Família’ (Instant Family) se destaca como uma das dramédias do momento. O filme aborda a delicadeza de uma história sobre relações familiares. Fala também sobre a descoberta de uma paternidade/maternidade. São personagens bem humorados e cativantes nas suas personalidades próprias (e alguns estereótipos, também).

O filme é baseado nas experiências reais do diretor Sean Anders (‘Pai em Dose Dupla’ e ‘Quero matar meu chefe’). Dessa maneira, ‘De Repente uma Família’ aceita o desafio de falar de adoção de um jeito despretensioso e muito (fofo) leve, sendo extremamente bem sucedido nisso. Ellie (Rose Byrne) e Pete (Mark Wahlberg) formam um casal branco e de classe média que nunca pensou em ter filhos. Mesmo assim eles se aventurando na vida de serem pais. É assim que Juan (Gustavo Quiroz), Lizzy (Isabela Moner) e Lita (Julianna Gamiz), três irmãos de descendência latina e de idades (e personalidades) totalmente diferentes, aparecem.

A partir daí, a relação dos cinco, assim como as desventuras e sabores da vida familiar são os elementos que preparam essa história gostosa de assistir. São momentos muito bem pensados de alívio cômico e pitadas de melodrama, com cenas feitas para chorar. A trama flui sem ficar cansativa.

 

Foto: Paramount Pictures / Divulgação

 

O enredo

A responsabilidade que a narrativa assume, também deve ser levada em conta. Falar sobre adoção, ao mesmo tempo em que decide mostrar que isto se trata de uma missão e tanto, traz tons de “pé no chão” para a trama. Ela poderia descambar facilmente para algo bem monotom e sem graça. É aí que o conhecimento de causa de Anders não nos deixa na mão. Contam também o entrosamento e afinidade com que Rose e Mark entregam ao casal protagonista. Eles mostram que amizade e cumplicidade que não falham.

Apesar de tentar esclarecer muita coisa em relação aos processos de adoção (nos EUA), o longa não está interessado em se ater aos trâmites legais. Na verdade, quer contar sobre essa experiência e (talvez) fazer mais pessoas considerarem essa possibilidade em suas vidas. Então, desde o elenco até o plot dessa história, a intenção fica muito clara. Em resumo: mostrar como família é família, independente de como se forma.

 

[youtube modulo=”2″]P0c7ndA1IG0[/youtube]

 

De Repente uma Família foi uma cabine do Mesa, em parceria com o Culturadoria.

 

Continua após a publicidade...

photo

As provocações da exposição ‘O corpo é a casa’, de Erwin Wurm

A melhor definição que já ouvi sobre o que é arte contemporânea foi de uma amiga. Lívia Mourão, que é uma grande artista, contou que viu certa vez em um documentário alguém comparando a produção de nosso tempo a um adolescente. “Difícil de entender mas está gritando por atenção. Quer passar uma mensagem”. E como […]

LEIA MAIS
photo

Manchester à Beira-Mar e as coisas que foram feitas para se viver com elas

Em uma das cenas finais da peça Amores surdos, montagem do grupo mineiro Espanca!, com texto de Grace Passô, uma família precisa aprender a conviver com um hipopótamo enorme. O animal foi criado escondido dentro de casa. Quando descoberto, um dos irmãos pensou em matar. A mãe, então, gritou: “Tem coisas que foram feitas para […]

LEIA MAIS
photo

Confira onde e como assistir ao Oscar 2018 neste domingo

Domingo é dia de Oscar e você se pergunta: onde vou ver? São várias opções. Confira abaixo os horários das transmissões ao vivo e o que os principais canais de entretenimento estão preparando. A entrega da estatueta será no Dolby Theatre de Los Angeles com apresentação de Jimmy Kimmel. TV a Cabo A TNT é […]

LEIA MAIS