08 fev 2018

Culturadoria com dez filmes para quem quer fugir do Carnaval

Está bem difícil fugir do Carnaval, né? Que tal apostar nos filmes? A folia em BH cresceu tanto que tudo para. Na Praça da Liberdade, por exemplo, Centro Cultural Banco do Brasil, Memorial Minas Vale e Casa Fiat estarão fechados. Palácio das Artes também não abrirá as portas.

Quem não gosta da folia fica apertado!!! Por isso, a coluna de hoje é especial para quem cogitar sair de casa somente para o cinema e olhe lá. Quem preferir o conforto do lar, saiba que já tem filme do Oscar que você consegue ver no seu sofá e por canais oficiais (eheheheh).

Basta escolher:

[QUERO VER NO CINEMA]

[QUERO VER EM CASA]

 

 

 

O que te faz mais forte

Uma das estreias da semana o longa protagonizado por Jake Gyllenhaal e Tatiana Maslany conta a história de um maratonista atingido por uma bomba no atentado de Boston. O que te faz mais forte é baseado no livro de mesmo nome de Jeff Bauman. A direção é de David Gordon Green. História de superação que tende a ser emocionante.

[ASSISTA NA CINEART]

 

 

O Destino de uma Nação

Dentre os filmes indicados ao Oscar em 2018 e que eu já vi, O Destino de uma Nação é o meu preferido até agora. Além de interpretações arrebatadoras – principalmente a de Gary Oldman como Winston Churchill – o filme narra um importante episódio histórico do ponto de vista político sem ser chato. O que é óootimo. Teci mais comentários sobre o longa aqui. Quem já viu Dunkirk (que falo mais abaixo) tende a gostar ainda mais desse.

[ASSISTA NA CINEART]

 

 

 

O Touro Ferdinando

Dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha, O Touro Ferdinando foi uma ótima surpresa entre animações. Quem tem criança pequena, de até 05 anos, pode levar sem medo. É uma história que eles captam com felicidade e o adendo de afirmar valores tão importantes na sociedade de hoje como a bondade e a amizade.

[ASSISTA NA CINEART]

 

 

 

Me chame pelo seu nome

Me chame pelo seu nome é um filme bastante simples, uma história de amor tradicional. A diferença é que os amantes são dois homens e a experiência deles é respeitada por todos. Um dos diferenciais desse filme é tratar com tanta naturalidade o fato de duas pessoas do mesmo sexo se apaixonarem. Deveria ser assim sempre. Não tem crise, não tem culpa, tem só sentimento e uma vontade linda de vivê-lo. Não vou dar spoiler mas deixo a dica: o discurso final do pai do garoto faz valer o filme inteiro.

[ASSISTA NA CINEART]

 

 

 

The Post

Eis aqui uma pessoa que tem uma super queda por filme de jornalismo. As razões são óbvias. The Post cumpre todos os pré-requisitos do gênero. Como era bonito o ritual do jornal impresso. Sim, digo no passado porque muito daquilo já evoluiu. Pois bem, The Post é um filme de gabinete. Fala mais sobre o peso das decisões editoriais do que sobre o operacional das reportagens. Ah e tem um adendo: Meryl Streep cheia de nuances na criação da dona do Washignton Post. Uma mulher poderosíssima que fez valer sua intuição e ajudou a mudar a história dos Estados Unidos. Completam as razões para ver The Post o fato de ter sido dirigido por Steven Spielberg e também ter Tom Hanks no elenco.

[ASSISTA NA CINEART]

 

 

 

 

 

Loving Vincent

Confesso que me distraí bastante nos primeiros minutos de Com amor, Van Gogh. As imagens são tão bonitas que fiquei pensando em toda a trabalheira que deve ter dado para pintar quadro a quadro à mão. O resultado é magnífico. Por isso a trama fica em segundo plano. Esse longa indicado ao Oscar de melhor animação narra uma investigação sobre as possíveis razões da morte de Van Gogh. Desenho para adultos, ok?

[ASSISTA PELO ITUNES] 

[ASSISTA PELO YOUTUBE] 

[ASSISTA PELO GOOGLE PLAY] 

[ASSISTA PELO NOW] 

 

 

 

Dunkirk

Filme de guerra, rodado com tudo o que as novas tecnologias podem oferecer. Assim eu resumo Dunkirk, longa de Christopher Nolan sobre o resgate dos soldados presos em Dunquerque. A trama se passa exatamente nos mesmos dias de O Destino de uma Nação, porém, do local onde os recrutas esperavam resgate. Nolan retrata a operação do ponto de vista de quem estava no mar, no céu e na terra. Acho que teria sido melhor ver esse filme no cinema, mas como não deu, isso não minimiza as qualidades.

[ASSISTA PELO ITUNES] 

[ASSISTA PELO YOUTUBE] 

[ASSISTA PELO GOOGLE PLAY] 

[ASSISTA PELO NOW] 

 

 

Corra!

Eis a grande surpresa da temporada de prêmios. Corra! representa o cinema de resistência, mais que independente. É um filme que subverte o gênero terror e diz que é possível sim juntar uma trama que assusta a temas que são relevantes no debate social. No caso, o racismo é questão central. Destaque para a atuação Daniel Kaluuya (reconhecido com uma indicação ao prêmio de melhor ator) e o diretor/roteirista, Jordan Peele. Foi o primeiro longa-metragem que ele faz e arrasou geral.

[ASSISTA PELO ITUNES] 

[ASSISTA PELO YOUTUBE] 

[ASSISTA PELO GOOGLE PLAY]

[ASSISTA PELO NOW] 

 

 

How The Beatles Changed The World

Esse documentário dirigido por Tom O’Dell é novidade no catálogo da Netflix. Chegou ao Brasil sem passar pelas salas de cinema. Mostra como ainda é forte o legado dos Beatles. O filme contextualiza o impacto que a musica dos Fab Four teve e tem no mundo inteiro. Longa cheio de registros raros. Prato cheio para os fãs.

[ASSISTA PELA NETFLIX] 

 

 

Ícaro

Se a Netflix não emplacou nada entre os longas de ficção, não passou despercebida entre os documentários. Ícaro é uma produção original da plataforma. Narra um escândalo recente: os casos de doping dos atletas russos nas Olímpiadas de 2016, no Rio de Janeiro. O longa começa com um dispositivo curioso: o diretor Bryan  Fogel é um ciclista amador e resolve se dopar para registrar as mudanças que a droga gera no corpo. Descobertas no meio do caminho transformam o longa.

[ASSISTA PELA NETFLIX]

 

Continua após a publicidade

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

‘Eu, Tonya’:  drama familiar mais pesado que uma biografia esportiva

Eu, Tonya começa como se fosse um documentário. Apesar de se basear em fatos reais, é um longa de ficção que comete pequenas ousadias na forma como conta a história da patinadora Tonya Harding. Além dos falsos depoimentos, em alguns momentos da narrativa, no meio da cena, os personagens se distanciam da ficção e fazem […]

Leia Mais

‘The Post: a guerra secreta’: as impressões decantadas sobre o belo encontro entre Meryl, Hanks e Spielberg

Eu sou suspeita para escrever qualquer coisa sobre filmes que tem o jornalismo como protagonista. A paixão pela profissão me faz sair emocionada na maioria das experiências que tive com o gênero. Com The Post: A Guerra Secreta não foi diferente. Sabe aquela coisa de achar maravilhosa toda cena que tem rotativa, o ritual do […]

Leia Mais

‘Três anúncios para um crime’: o violento preço da passionalidade

Três anúncios para um crime faz pensar sobre impunidade. Sobre a raiva também. É um filme forte. O mais tenso entre os nove indicados ao Oscar em 2018. Mais até do que os de guerra. Em reconstituições de época – como Dunkirk e O destino de uma nação, por exemplo – somos “protegidos” pelo distanciamento […]

Leia Mais

Comentários