fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

‘Vaga carne’ desafia sentidos ao provocar caos semiótico

Por Carol Braga

04/04/2017 às 10:56

Publicidade - Portal UAI

Grace Passô em “Vaga Carne”. Crédito: Lucas Ávila

É muito bom acompanhar a carreira de um artista e perceber que a cada passo dado a maturidade se mostra presente. Entre tantos outros, este é o caso da atriz, dramaturga e diretora Grace Passô. Ela chega a Belo Horizonte com o monólogo Vaga carne, em cartaz no Sesc Palladium.

A ocasião motivou matéria publicada no jornal Estado de Minas desta terça (04/04) LEIA AQUI e também uma crítica, ou melhor, um ponto de vista sobre o espetáculo. A ideia é convidar os artistas a dialogarem com este texto. Grace, o convite está feito! Assim que puder, deixe suas impressões!

É tão difícil falar sobre Vaga Carne quanto entender. O solo de Grace Passô não é nada óbvio. Felizmente! Se ela diz que faz parte de um projeto teatral que tem entre seus nortes o desejo de construir estranhamentos, o resultado é uma radicalização disso. Em outras palavras: é para embarcar, não decifrar.

Vaga Carne distancia o espectador do lugar cômodo, doutrinado a consumir historinhas bem contadas. A peça promove um caos semiótico generalizado, ou seja, nada é o que parecer ser. Os significados dados no palco são espaços para uma compreensão bem mais ampla sobre termos cotidianos. Por meio do teatro, Grace tenta estimular o público a criar um olhar que seja menos normativo. Você olha e não sabe o que vê. A personagem é uma voz, uma mulher, uma carne, uma matéria, um pato, uma mostarda, tudo ou nada disso?

São apenas 50 minutos de uma crítica reversa. Se vivemos em uma sociedade viciada em rótulos, nomes e descrições sistemáticas sobre coisas e pessoas a experiência da peça faz um convite diferente. É metafórico porque é teatro mas, e na vida? Será que as coisas tem que ser o que sempre foram?

Grace poderia não ter conseguido chegar ao espectador se não fosse o conjunto que leva para a cena. A luz (Najda Naira) e a música (Ricardo Garcia) atuam como parceiros de cena. Tem completo domínio de voz e corpo. Aliás, são estes os principais elementos que utiliza para falar sobre o indizível. A atriz/dramaturga/diretora parte de um corpo inerte, atravessado por vozes e significados que só podem tomar forma diante do público por meio dos gestos.

Abacates caindo do chão, como foi em Por Elise (2004), ou hipopótamo criado dentro de casa, como foi em Amores Surdos (2005), ambas peças criadas com o Grupo Espanca!, são dispositivos complementares na almejada construção da dramaturgia do estranhamento de Grace Passô. Em nenhum caso é absurda. A artista só convida a ver o mundo de uma forma diferente. Menos real, mais poético. Com mais lirismo (Por Elise), afeto (Amores Surdos) e agora bastante amplo em sentidos.

SERVIÇO

[O QUE] Vaga Carne, com Grace Passô
[QUANDO] Quarta (05) e quinta (06), 21h; sexta, 19h e 21h; sábado, 18h e 21h.
[ONDE] Sesc Palladium Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, BH (31) 3270-8100).
[Q

UANTO] R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

photo

Culturadoria com as dicas para o seu fim de semana: 07 de Junho

Junho não somente é o mês das festas juninas.  Dessa maneira, este segundo fim de semana está repleto de opções incríveis em BH. Em primeiro lugar, Alcione estará por aqui com seu show “Eu sou a marrom”. Em segundo lugar, o teatro tem atrações imperdíveis. Só para exemplificar, tem a peça “Outros”, do Grupo Galpão. […]

LEIA MAIS
photo

Crítica em diálogo: ‘Peça do casamento’ e os reflexos do cotidiano

Seguimos aqui com a nossa proposta de tornar a crítica de teatro cada vez mais dialógica. Convidamos Guilherme Weber, o diretor de Peça do Casamento, que esteve em cartaz no CCBB-BH, para responder – e conversar – sobre as impressões que o espetáculo causou. A seguir, você confere o texto já comentado em itálico!   […]

LEIA MAIS
photo

Janela de Dramaturgia 2019 intensifica tom político

Fomentar, valorizar, divulgar e pensar a nova escrita teatral brasileira. Esses são os principais objetivos da mostra Janela de Dramaturgia, que é realizada anualmente em Belo Horizonte. A edição de 2019 vai ser diferente. Chamada de Edição Manifesto, busca discutir a situação política e social atual do Brasil. Para que isso ocorra as reivindicações das […]

LEIA MAIS
photo

Arnaldo Antunes vem aí! Leitor do Culturadoria tem desconto para o show

Setembro tem Arnaldo Antunes em BH. E o melhor: os leitores e seguidores do Culturadoria tem 10% de desconto para conferir o show. Ele chega acompanhado do RSTUVXZ Trio para uma apresentação que mistura samba e rock. Bom, o que não falta à carreira de Arnaldo Antunes é referência em diversos gêneros, musicais e literários. […]

LEIA MAIS
photo

Por que o filme “No Coração do Mundo” prova o amadurecimento do cinema mineiro?

Outro dia ouvi no podcast Mamilos de férias uma curiosa categorização para os filmes. Há os “batata frita”, fast-food e aqueles que realmente alimentam o espectador de alguma forma. Para você saber se acaba de ver um ou outro, o exercício é simples. Se nunca mais pensar no que assistiu, foi batata frita. No Coração […]

LEIA MAIS
photo

Design italiano é tema de mostra na Casa Fiat de Cultura

Carros, sofás, luminárias, utensílios domésticos, esculturas. Você pode até não perceber mas a sua vida é rodeada de desing. Por toda parte. É justamente de objetos pensados para um uso cotidiano e que depois se transformaram em arte que é feita a exposição que ocupa a Casa Fiat de Cultura até 03 de novembro. A […]

LEIA MAIS