fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Mundial de Circo renova olhar sobre arte circense com ocupação da rua e variedade de números

Por Carol Braga

25/06/2017 às 21:18

Publicidade - Portal UAI
Cabaré Circense lotou o Zona Lazt na noite de sábado. Crédito: Thiago Fonseca

Cabaré Circense lotou o Zona Lazt na noite de sábado. Crédito: Thiago Fonseca

Thiago Fonseca*

Piscou? Perdeu! Como diz o slogan escolhido para 2017, assim foi cada momento da 17° Festival Mundial de Circo realizada neste fim de semana em Belo Horizonte. Ao longo de quatro dias o evento mostrou que é capaz de se reinventar. E neste ano não foi diferente, mesmo sendo uma edição bem mais reduzida perto do que já foi.

Tanto os espetáculos escolhidos como a mostra de números e o cabaré apresentaram um novo olhar sobre a cena circense, sempre com espaço aberto para manifestações políticas e sobre a diversidade sexual.

ESPETÁCULO “DOIS”

A programação começou na quarta com o espetáculo “Dois”.  Inspirados por contos clássicos, performances e experiências pessoais, os irmãos Luís e Pedro Sartori do Vale combinaram diferentes formas de arte e desenvolveram a própria linguagem artística. Nessa montagem um antigo hobby em comum dos artistas ganha foco: o arco e flecha. As apresentações sutis, bem humoradas, inteligentes e poéticas mostram a relação íntima entre os irmãos e a arte.

MOSTRA DE NÚMEROS CIRCENSES

No fim de semana, a mostra de números circenses surpreendeu. Representantes do Brasil, Uruguai, Argentina, Peru e Itália fizeram do Galpão Cine Horto um picadeiro. Além dos números com técnicas variadas como o tecido, a acrobacia, a roda Cyr, a corda bamba; os cantores mineiros Marcelo Veronez e Sylvia Klein fizeram intervenções musicais entre as apresentações da noite de sábado.

 

Continua após a publicidade...

O brasileiro Lucas Castro foi o primeiro a entrar no palco com o número “Vende-se! Uma Experiência Imaginativa Única”. No arame, ele mostrou que é possível explorar várias áreas da arte circense como o ilusionismo, teatro e dança. O malabarista Uruguaio, Adrian Martinez, com simpatia e destreza manipulou bolas de futebol e malabares com agilidade e precisão no número “El Vigeiro”.

Na corda o peruano Cristian Trelles apresentou o número “Umbilical” que fez o público ficar tenso a cada técnica utilizada. Teve palhaço? Sim, senhor! E ele veio direto da Argentina para mostrar que risos e gargalhadas podem ser arrancados da plateia sem o uso das palavras. Augustin Soler e suas “Cenizas” mostraram a técnica do teatro mudo e o curioso mundo do palhaço triste e inquieto.

Figuras, torções, giros, inversões e quedas mostraram o “Entrelace” Ciro Ítalo, entre os tecidos. A quinta apresentação do brasileiro mostrou o quanto é bonito e poético a técnica. Como uma pluma a pairar no ar a artista italiana Claudia Franco foi à última a se apresentar. O número “Encontro”, com a técnica Roue Cyr, arrancou suspiros, caras e bocas da plateia.

As intervenções musicais entre os números tiveram críticas sociais. Foi o caso da primeira música a ser cantada por Sylvia, ao fim, a artista crava uma faca em uma imagem de Michel Temer. O público ovacionou com “Fora Temer”. A cena de romance, com direito a beijo gay e banho de champanhe, ficou sob o comando de Marcelo e o tecladista.

CABARÉ CIRCENSE

A rua do já tradicional bar “Zona Lazt”, no bairro Horto, também foi picadeiro de uma das vertentes do Festival. O Cabaré Circense foi o resultado da residência de dez dias com os artistas circenses do “Coletivo sob 6” com o coreógrafo catalão Cisco Aznar. Sete artistas arrancaram palmas e gritos do público que ficou impressionado com as piruetas, cambalhotas e mortais de alta complexidade e grau de dificuldade. A festa também foi animada com bastante música e comida.

O FESTIVAL

O Festival Mundial de Circo, o primeiro internacional dedicado ao circo no Brasil, iniciou a sua trajetória em 2001 reunindo em Belo Horizonte artistas brasileiros e de vários cantos do mundo para celebrar o circo. Já percorreu mais de dezesseis cidades do interior de Minas Gerais. Em sua última edição em 2016, o Festival aconteceu no Rio de Janeiro. Em toda a sua história o evento já contou com 32 países participantes, 342 grupos convidados e mais de 770 apresentações.

*Sob a supervisão de Carolina Braga.

photo

Startup mineira abre cursos EAD na área cultural

Cursos como  ‘Gestão e Política Cultural na América Latina’, ‘Comunicação Social para Organizações’ e outros cinco em modelo EAD serão os primeiros a integrar a grade de cursos da startup mineira Inspira. A Escola de Gestão e Cultura está com inscrições abertas. As aulas serão entre agosto e novembro e serão dentro de uma plataforma […]

LEIA MAIS
photo

Confira as dicas para o seu fim de semana: 14 de dezembro

As apostas do Culturadoria no fim de semana privilegiam as atrações musicais. Também pudera, teremos na cidade Caetano Veloso e filhos, Criolo e Castello Branco para aqueles que preferem uma vibe mais indie. As estreias do cinema também estão quentes. Confira!     Ofertório Este projeto é daquele tipo que dá tão certo que acaba […]

LEIA MAIS
photo

AmBHulantes: uma forma diferente de se divertir pedalando por BH

O AmBHulantes chegou para mudar a forma como você se relaciona com BH. Assim, o projeto do também DJ Luiz Valente promete levar diversão, cultura, interatividade entre as pessoas, ciclismo e saúde para o público da capital no próximo dia 15 de Junho. Antes de mais nada, é a chance perfeita para se juntar aos […]

LEIA MAIS
photo

Maria Cutia estreia Auto da Compadecida com direção de Gabriel Villela

É o diretor Gabriel Villela quem conta. Quando Ariano Suassuna esteve na plateia de Romeu e Julieta, com Grupo Galpão, ao final da apresentação na Paraíba, levantou-se de maneira abrupta. Naquele tom discursivo que lhe era peculiar, disse: “Essa peça não tem diretor não, quem dirigiu isso fui eu. É a peça que eu dirigiria […]

LEIA MAIS
photo

Confira a lista de artistas que fazem show em BH em junho, julho e agosto

Sabe qual é uma das maiores reclamações que ouvimos? Que a pessoa não fica sabendo do show e na hora de comprar já não tinha mais ingresso. Foi justamente para resolver este problema que temos procurado preparar listas mensais com algumas atrações que já estão confirmadas na agenda de Belo Horizonte. Sendo assim, neste post, […]

LEIA MAIS
photo

Cuidar de si e do outro: os ecos do Festival Path

O Festival Path é aquele tipo de experiência que demanda tempo de decantação. O evento realizado em São Paulo nos dias 01 e 02 de junho mexe com quem está em busca de novos desafios ou pelo menos está tentando entender alguma coisa do que está rolando no mundo. Sendo assim, mexeu comigo. É por […]

LEIA MAIS