fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

CineOP 2018 a valorização de atividades de formação e da cena local

Por Thiago Fonseca *

21/06/2018 às 10:00 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Leo Lara / Divulgação

O investimento em atividades de formação para o crescimento da indústria audiovisual e a valorização da cena local são os pilares mais fortes da CineOP 2018. Essa é a percepção que fica após seis dias de Mostra, que ocupou Ouro Preto entre 13 e 18 de junho. É dessa forma, que se diferencia dos demais. Nesta edição, a Mostra contou com a presença de mais de 320 profissionais do audiovisual para discutir três vertentes: a história, preservação e educação.

Em meio a esse contexto foram exibidos 134 filmes. Atrações artísticas também foram fortes, até muito mais que muitas exibições. Não é à toa que reuniu um público 18 mil pessoas. Gente de toda parte que estava em busca de algo diferenciado no audiovisual. E encontrou. A riqueza da CineOP ainda está na maneira como integra e dialoga com a comunidade local e no carinho com as pessoas.

Com programação ocupando três espaços da cidade com mais de 1700 lugares. Atividade o tempo inteiro. Vivenciar a Mostra é quase uma maratona. Claro, que se ganha muito.

Acertos

É claro que em cada edição a produção encontra desafios. Este ano foi a saída do BNDES como patrocinador. “A ausência desse órgão na nossa Mostra é sentida. Ainda sinto falta de investimentos de empresas locais. Dessa forma, a gente vai driblando a crise e buscando parceiros”, explica Raquel Hallak, coordenadora geral do evento. Um desses parceiros foi o Sesc, que a cada dia está mais presente nos eventos do estado.

Nesta edição o que mais chamou a atenção na programação do cinema foram ‘Fevereiros’, de Marcio Debellian, e ‘Adoniran – Meu nome é João Rubinato’, de Pedro Serrano. Na seleção homenagem destaque para o longa ‘Vida”, documentário sobre Maria Gladys, de Paula Gaitán. Houve também filmes que não agradam a todos. Mas na CineOP tudo tem um sentido. Não há inserção de elementos sem um estudo e um conceito. Assim, a Mostra destaca o profissionalismo que as coisas são feitas.

Ao trazer a temática ‘Vanguarda Tropical: cinema e as outras artes’ a CineOP traz um olhar contemporâneo para o período. E faz isso de maneira assertiva. Seja como for, na abertura com performance que impacta, com filmes da época ou da atualidade que mostram a temática. Ainda com inserção de atrações musicais que dialogam com o período e com homenagem a Maria Gladys.

 

 

Foto: Beto Staino / Divulgação

Avanços

A percepção que fica após a edição 2018 é de que a Mostra avança se mostrando um evento mais dinâmico. E inaugurou uma nova fase, que segundo Raquel, é a ampliação do entendimento da preservação no audiovisual no sentido de indústria. Ainda avança ao propor questão de pensar a escola pública enquanto espaço físico e conteúdo. A tendência do evento é ampliar o diálogo com o exterior para pensar maneiras de se preservar o audiovisual.

“Do ponto de vista da educação, percebemos um avanço muito grande ao propor, para esta edição, a discussão sobre a escola pública, qual é seu papel como espaço físico, como conteúdo e sobre as pessoas que ali estão se formando. Na temática Histórica, em comemoração aos 50 anos da Tropicália, promovemos o diálogo entre o cinema e outras artes, como esta contracultura se configurou na década de 1970 e como olhar contemporâneo pode trazer outras formas de perceber este movimento”, pontua Raquel.  Dessa maneira, a 13º edição da CineOP reforça seu papel como instrumento de luta pela preservação do patrimônio audiovisual.

 

photo

Novo ‘Star Wars’: “os últimos” serão os primeiros

Por Matheus Bongiovani* O encontro da heroína Rey (Daisy Ridley) com o mestre Jedi Luke Skywalker (Mark Hamill) em O Despertar da Força, de 2015, trouxe uma onda de nostalgia e empolgação aos fãs de Star Wars. A expectativa em ver a jovem treinando para ajudar a Aliança Rebelde na luta contra Primeiro Império é […]

LEIA MAIS
photo

Carta-crítica para Lady Gaga sobre ‘Nasce uma Estrela’

Cara Lady Gaga, Tudo bem? Embora o formato desta crítica não seja lá muito tradicional, escrever uma carta para você foi o que me deu vontade de fazer ao sair da sessão de Nasce uma estrela. Se algum fã se interessar em traduzir, ficarei grata! Confesso que conheço pouco da sua carreira mas, no ano […]

LEIA MAIS
photo

CineOP 2018 resgata vanguarda tropical e homenageia Maria Gladys

A CineOP chega à sua 13ª edição consolidada como um evento que pretende discutir e debater a história, a preservação e a educação. Até segunda-feira, dia 18, a CineOP exibirá 134 filmes, de 12 estados brasileiros e três países. Serão distribuídos nas mostras Contemporânea, Preservação, Homenagem, Histórica, Educação, Sessão Especial, Mostrinha e Cine-Escola. Além disso, Ouro […]

LEIA MAIS