Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

BH terá casa dedicada a cursos na área do cinema

Organizadores da Mostra de Cinema de Tiradentes vão promover laboratórios em diversas especialidades da cadeia audiovisual

Por Carol Braga

25/01/2019 às 19:29

Publicidade - Portal UAI
Foto: Beto Staino/Universo Produção

O clima de celebração que normalmente reina na Mostra de Cinema de Tiradentes foi quebrado na tarde desta sexta (25). A notícia sobre o rompimento da barragem em Brumadinho abalou todo mundo. “Não tem como não ficar triste diante de uma coisa dessas”, comentou Raquel Hallak antes de iniciar o balanço da 22a edição do evento.

Com estrutura já consolidada, a maior novidade apresentada no tradicional encontro com a imprensa foi o anúncio da inauguração da Casa da Mostra em BH. A abertura está prevista para abril, em espaço no bairro Serra. Em síntese, o objetivo é oferecer cursos em diversas áreas da cadeia do cinema, inclusive da técnica. “A ideia é fazer parceria com a indústria”, comentou.

A inauguração da Casa da Mostra confirma o discurso defendido na abertura do Festival de Tiradentes. Falou-se muito sobre o papel do cinema dentro da indústria criativa. De acordo com Raquel Hallak, é importante ter cada vez mais “posicionamento de mercado”.

Perspectivas

Mesmo que o clima seja de apreensão na cultura em relação ao futuro dos mecanismos de fomento, Raquel Hallak diz não se deixar abater. “O que me move é um certo desconforto”, afirma. Dessa maneira, a coordenadora confirmou a realização da Cineop e da CineBH, outros eventos promovidos dentro do programa Cinema Sem Fronteiras, mesmo com indefinições de patrocínios. De acordo com Raquel, o momento será de explicar para os novos governantes a relevância da cultura para os cidadãos e para a economia. “Vamos dar nossos recados. É um diálogo novo”, resumiu.

 

Cléber Eduardo. Foto: Beto Staino/Universo Produção

Equipe curadoria

Durante a Mostra de Cinema de Tiradentes o coordenador da curadoria, Cléber Eduardo anunciou oficialmente a saída da equipe. Ele ficou 13 anos no cargo. Sobre a mudança, Raquel Hallak disse que a transição curatorial já vinha sendo trabalhada. Nesta edição, por exemplo, fizeram parte da equipe curatorial, a jornalista Camila Vieira, a pesquisadora Lila Foster, o professor Pedro Maciel Guimarães, a realizadora Tatiana Carvalho Costa e o crítico Victor Guimarães. A coordenação foi de Cléber Eduardo.

“A gente vai trabalhar a equipe e não mais um curador”, disse Raquel Hallak.  Tanto a Mostra de Tiradentes, como os festivais de Ouro Preto e de Belo Horizonte seguirão o mesmo formato.

A equipe do Culturadoria viajou a convite da Mostra de Cinema de Tiradentes.

 

Continua após a publicidade...

photo

O que vem depois do premiado curta ‘Estado Itinerante’

Está marcado para março o início das filmagens de ‘Logo após’, o terceiro curta-metragem da carreira de Ana Carolina Soares. Guarde esse nome. Aos 30 anos a cineasta mineira já deu sinais de que terá uma longa e premiada carreira no cinema. Ela exibiu Estado Itinerante em Tiradentes, dentro da Mostra Foco. O curta deveria […]

LEIA MAIS
photo

“Madrigal para um poeta vivo”: encontro com o existencialismo mediado pelo cinema

O paulista Francisco Pinto Campos Neto atingiu um novo patamar de notoriedade recentemente quando foi personagem em uma matéria de televisão sobre o fato de ser escritor e coveiro. A participação no programa fora apenas uma tentativa de divulgar “As Núpcias do Escorpião”, seu livro de contos lançado em 2013. A verdade é que Tico […]

LEIA MAIS
photo

CineOP 2018 resgata vanguarda tropical e homenageia Maria Gladys

A CineOP chega à sua 13ª edição consolidada como um evento que pretende discutir e debater a história, a preservação e a educação. Até segunda-feira, dia 18, a CineOP exibirá 134 filmes, de 12 estados brasileiros e três países. Serão distribuídos nas mostras Contemporânea, Preservação, Homenagem, Histórica, Educação, Sessão Especial, Mostrinha e Cine-Escola. Além disso, Ouro […]

LEIA MAIS