fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Banho de Sol volta ao cartaz para única apresentação em BH

Espetáculo da Cia Zula de Teatro é baseado em experiência das atrizes dentro do presídio feminino

Por Carol Braga

24/07/2019 às 08:01

Publicidade - Portal UAI
Banho de Sol. Foto: Guto Muniz/Divulgação

É natural que cada espectador tenha uma relação particular com obras artísticas. Agora, é curioso quando há um sentimento comum de impacto. As intensidades podem variar, é claro, mas fato é que desconheço uma só pessoa que tenha saído inerte de Banho de sol, a nova peça da Cia Zula de Teatro. Por isso, repito aqui o que já gravei em vídeo: não deixe de ver este espetáculo. É um serviço – e um convite – à empatia e a humanidade de cada um.

A peça volta ao cartaz para apenas uma apresentação no Centro Cultural do Minas Tênis Clube, dia 23 de agosto, às 20h (compre aqui). Na minha opinião, Banho de Sol é um dos melhores espetáculos da atual safra produzida em Minas Gerais. A montagem é protagonizada pelas atrizes Talita Braga, Gláucia Vandeveld, Kelly Crifer e Mariana Maioline.

Veja o vídeo que gravei assim que saí da peça:

 

 

Teatro documentário

O espetáculo nasceu de uma experiência que elas tiveram dentro de um presídio feminino em Belo Horizonte. A estrutura dramatúrgica é muito simples. Nesse sentido, as atrizes literalmente contam ao público as vivências e lembranças das aulas de teatro que ministraram dentro do complexo penitenciário.

Ao longo dos 120 minutos da peça, pouco a pouco, o público vai se entregando e, curiosamente, o mistério do teatro se instaura. Talita Braga, Gláucia Vandeveld, Kelly Crifer e Mariana Maioline nos transportam para outro tempo e espaço. No fim das contas, nos fazem refletir, por exemplo, sobre igualdade, erros, acertos, medo, liberdade. Banho de sol é uma peça que fala sobre gente.

Assim como a carpintaria do texto é simples, cenários, figurinos, iluminação também são. É uma peça que foca realmente naquilo que é essencial e, pelo menos no meu caso, tocou em cheio a minha emoção.

Nova temporada

A peça estreou em abril de 2018 no Teatro II do Centro Cultural Banco do Brasil, com capacidade para 80 pessoas. A procura foi tanta que, no mês seguinte, as atrizes foram convidadas a ampliar a temporada. Desta vez, porém, no teatro I, com capacidade para cerca de 300 espectadores. Novamente, tudo esgotado.

O teatro do Centro Cultural do Minas Tênis Clube tem o dobro do tamanho do CCBB. Apesar de saber da potência do espetáculo, tenho receio de que o espaço mais amplo possa diluir a força da peça. Vamos torcer para que não!

Serviço

[O QUE] Banho de Sol, com Zula Cia de Teatro [QUANDO] 23 de agosto, 20h [ONDE] Centro Cultural do Minas Tênis Clube – R. da Bahia, 2244, Lourdes – BH – (31) 3516-1360 [QUANTO] R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) [COMPRE AQUI]

 

Banho de Sol. Foto: Guto Muniz/Divulgação

 

photo

Breves reflexões sobre a (minha) Virada Cultural

O que sempre me encantou na Virada Cultural é o fato de poder andar pela cidade com um olhar diferente do cotidiano. E foi assim, descendo a Rua Rio de Janeiro, da Praça Sete em direção à Guaicurus que mais uma vez me dei conta disso. Com o passo apressado, um senhor perguntou se era […]

LEIA MAIS
photo

De MC Elis a Djonga: a Virada Cultural e o pertencimento social

Era uma vez um menino da periferia de Belo Horizonte. Ele é negro. Sempre soube dos shows que eram – e são – realizados na Praça da Estação. Nem sempre ia. Um dia decidiu comparecer. Disse que estava de bobeira em casa. Mas o que mais marcou, não foi exatamente o espetáculo que foi assistir. […]

LEIA MAIS
photo

As impressões sobre ‘Macunaíma: uma rapsódia musical’

Me perguntaram pelo Instagram o que eu achei da peça Macunaíma: uma rapsódia musical, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil. Embora pareça simples, é uma questão complexa de sintetizar. Mesmo assim, tentei ser direta: “Ei! Achei a peça bem difícil! Tem uma ostentação cênica que acabou me afastando da narrativa. Óbvio que tudo […]

LEIA MAIS