fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

“Baixo Centro”: Uma melancólica declaração de amor à BH

Por matheusbongiovani

26/01/2018 às 18:34

Publicidade - Portal UAI
Abertura da sessão de Baixo Centro, na Mostra de Cinema de Tiradentes. Crédito: Jackson Romanelli/Divulgaç

A solidão em meio à multidão, a dificuldade de conquistar os espaços, a necessidade de ocupá-los e a busca pelo sentimento de pertencimento são temas que poderiam ser trabalhados em qualquer grande centro urbano.

Apesar de possuir sua universalidade, Baixo Centro é um filme que definitivamente dialoga mais intensamente com os belo-horizontinos. Ao escolher a cidade como cenário, os diretores Ewerton Belico e Samuel Marotta se aproveitaram de um momento ímpar na história da capital mineira.

Nos últimos anos, diversos grupos sociais tem ocupado a cidade e reivindicado os espaços urbanos. O que tem transformando o cenário e deixado a cidade mais com a cara de seu povo.

O filme

Quem embarcar nessa experiência esperando imagens institucionais dos pontos turísticos da cidade deve se decepcionar. Ao invés do conjunto arquitetônico da Pampulha, temos aqui a praça Raul Soares, o viaduto Santa Tereza e a Avenida Augusto de Lima durante a madrugada.

Os registros noturnos possuem um propósito específico. Lançar um olhar aos indivíduos marginalizados dos centros urbanos. O bêbado que invade o show durante o duelo dos Mc’s, ou o morador de rua que fala consigo mesmo.

Baixo Centro é um filme sobre pessoas perdidas, que tentam desesperadamente se encontrar. Mais uma vez não temos uma dramaturgia convencional. O filme faz várias experimentações de linguagem. Há uma belíssima sequência que retrata a aproximação de um casal no viaduto Santa Tereza, feita exclusivamente com fotografias. Uma referência ao desejo humano de eternizar os momentos.

Em vez de narrar trajetórias de personagens, Baixo Centro apenas apresenta recortes, fragmentos. Isso se reflete fortemente no texto. Os diálogos são substituídos por monólogos e desabafos carregados de sentimentos. O engajamento do público depende fortemente da identificação com tais experiências.

No debate realizado após a exibição, os diretores Ewerton Belico e Samuel Marotta afirmaram que a intenção era, de fato, transformar Belo Horizonte em um personagem. “É sobre o fracasso da utopia da cidade como um espaço integrador. Mas também sobre como essa utopia se entranha na vida das pessoas, e se mantém viva com a experiência concreta”, explicou Ewerton.

Um dos destaques do filme – que se enquadra no gênero ficção – é o elenco. Alexandre da Sena, Cris Moreira, Marcelo Souza, Bárbara Colen e Renan Rovida demonstraram compreender bem a visão dos diretores e entregaram performances naturalistas impressionantes.

A transformação de Belo Horiznte em cenário para uma série de encontros e desencontros é fascinante. A poesia visual criada pela dupla de diretores é eficiente o bastante para fazer até mesmo um belo-horizontino afastado há apenas uma semana, para cobrir uma mostra de cinema, sentir saudades de casa.

*Viajou a Convite da Mostra de Cinema de Tiradentes

photo

Palpites e expectativas para o Oscar 2019

Foram tantas idas e vindas sobre a produção da 91a Cerimônia do Oscar que ainda não sei muito bem esperar do programa que vai ao ar na noite deste domingo. Tanto em termos de resultados como aspectos da produção mesmo. Ao todo, 36 filmes concorrem a este que é o prêmio mais disputado da indústria. […]

LEIA MAIS
photo

Animais fantásticos 2: isca pronta para mais um filme da série

Por Ana C. A. Souza* Animais fantásticos Provavelmente existe mais de um motivo para você se considerar um fã de Harry Potter. Pode ter a ver com o fato de ter crescido lendo essas histórias, esperando ano a ano uma nova parte. Pode ser que você tenha se identificado com algum(ns) dos personagens e tenha encontrado uma […]

LEIA MAIS
photo

Por que você deveria ver os dois filmes mineiros que acabaram de chegar na Netflix?

Quem acompanha o cinema nacional tem vivido uma montanha russa de emoções no noticiário especializado, né? Um dia rola uma notícia terrível sobre a paralisação da liberação de verbas na Ancine. No outro, quatro filmes nacionais são anunciados na programação do Festival de Cannes. É esse tipo de informação que a gente prefere fazer circular […]

LEIA MAIS
photo

Cinco aprendizados sobre Djonga no lançamento do disco ‘Ladrão’

O único artista de rap que eu vi ao vivo foi Criolo. Ou seja, tenho pouquíssima experiência nesse quesito. Eu quis ver Djonga. Talvez já tivesse a sensação do que ele representa. Também do quanto é importante ouvir o que ele tem a dizer. Mais que isso: ver e estar a aberta a tudo o […]

LEIA MAIS
photo

Lenine leva ‘tecnologia do afeto’ para show em Inhotim

“Confesso que como cidadão nunca vi tanta falta de justeza”, desabafa Lenine. Assim mesmo, usando uma palavra que parece fora do lugar para falar sobre adequação. “É porque a justiça está banalizada. Isso gera um desencanto, essa cor sombria que o projeto ‘Em Trânsito’ tem”, justifica. É também por isso que ele abre o disco […]

LEIA MAIS
photo

‘Os Vingadores: Ultimato’: o que você realmente precisa saber

O filme que vai encerrar a ‘A Saga do Infinito’, como nomeou Kevin Feige (presidente do MCU), está chegando. ‘Os Vingadores: Ultimato’ chega aos cinemas brasileiros no dia 25 de Abril. Até lá, o gostinho da espera foi garantido pelos dois trailers já disponíveis. O mais recente, lançado no dia 14 de Março, não trouxe […]

LEIA MAIS