Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Armageddon Time conquista Cannes com trama autobiográfica

Gostou? Compartilhe!

O longa Armageddon Time com Anthony Hopkins, Anne Hathaway e Jeremy Strong estreou na 75ª da edição do Festival de Cannes

Por Carolina Cassese | Correspondente

Um dos filmes mais comentados da programação do Festival de Cannes até agora é Armageddon Time, de James Gray. A produção está na competição oficial e tem no elenco nomes como Anthony Hopkins, Anne Hathaway e Jeremy Strong. A trama, inspirada na infância do diretor, acompanha uma família de classe média na Nova York dos anos 80, logo antes da eleição do conservador presidente Ronald Reagan. 

Conhecemos a história especialmente pelos olhos do menino Paul, interpretado por Michael Banks Repeta. Quando vai para um colégio tradicional de elite, o garoto, que sonha em ser artista, é descrito pelo diretor da escola como “devagar demais”. Por lá, um dos coordenadores diz: “Vocês, aqui, podem ser o que vocês quiserem. CEOs, banqueiros, até mesmo presidentes”. 

O mesmo discurso meritocrático é repetido por Maryanne Trump (sim, membro da célebre família Trump). “Se vocês trabalharem duro, podem conseguir o que quiserem”, diz, com pose de CEO. Paul, no entanto, não se interessa por nenhuma das opções apresentadas. Em resumo: ele quer ser artista – e talento não lhe falta.

Quando diz isso para a família conservadora, apenas um membro o apoia: o avô, Aaron (Hopkins), que inclusive aconselha o menino a “assinar todos os desenhos, pois é isso que os artistas fazem”. O avô ressalta ainda a importância de olhar para o passado da família, de origem judaica, para que injustiças não se repitam.

Elenco

Um destaque da produção é sem dúvidas as atuações, em especial as de Hopkins e Strong, conhecido por estrelar a série Succession, da HBO. O último entrega uma performance bastante intensa ao interpretar Irving, um inseguro chefe de família, que tenta a todo custo impor autoridade. 

Os diálogos do longa são absurdamente críveis. Nos sentimos como verdadeiros espectadores de jantares de família da classe média estadunidense. Não há nada que pareça muito forçado ou deslocado. Sendo assim, acreditamos mesmo em cada acontecimento daquele cotidiano e no desenvolvimento dos personagens, todos cheios de camadas. 

Temas

O racismo é um dos temas mais presentes em Armageddon Time. O amigo mais próximo do protagonista é Johnny Davis (interpretado por Jaylin Webb), um garoto negro que, por conta de sua cor e da classe social a qual pertence, leva uma vida muito mais dura do que a de Paul. O longa de Gray mostra essa desigualdade, mas não tem a ambição de resolvê-la na própria trama.

No que diz respeito à recepção do filme, que foi ovacionado após a primeira exibição no festival, muitas das críticas e dos elogios foram direcionados ao mesmo ponto: a sutileza da crítica apresentada. Para alguns, por exemplo, o longa falha em não ser tão enfático no que diz respeito aos temas relacionados à desigualdade. 

No entanto, outras críticas, como a publicada pela revista Vanity Fair, enfatizam que a produção acerta em não ser muito didática. “Gray deixa sua tese florescer gradualmente nas mentes de seu público, movendo-nos lentamente em direção a uma conclusão arrasadora que também funciona como um apelo gentil, mas firme, à ação política pessoal”, pontua o crítico Richard Lawson. 

Críticas

A ação política parece mesmo ser relevante para o diretor estadunidense, que, durante a conferência de imprensa do festival, realizou diversas críticas ao próprio país. “Acho que estamos com sérios problemas hoje. O que aconteceu, como chegamos aqui, como duas pessoas detêm tudo e vários autoritários tentam dominar nosso planeta? (…) Antes, quando se falava de franquias, pensávamos em McDonalds e Burger King. Agora pensamos em cinema”. 

A representação de dois membros da família Trump na narrativa (além de Maryanne, o avô de Donald Trump, Fred, é um dos personagens) também não deixa dúvidas a respeito da crítica realizada por Gray. Ou seja, ele definitivamente se opõe ao trumpismo e a qualquer mentalidade similar.

Armageddon Time conquista Cannes com trama autobiográfica. Foto: Courtesy of Focus Features
Armageddon Time conquista Cannes com trama autobiográfica. Foto: Courtesy of Focus Features

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!