fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Aprenda a fazer um prato português com o chef Cristóvão Laruça

Chef ensina receita de Açorda Alentejana, sopa típica de Portugal, e conta história da vida dele

Por Thiago Fonseca *

05/06/2020 às 10:28 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Cristóvão Laruça - Foto: Nereu Junior / Divulgação

Foi para encurtar a distância de casa que o português Cristóvão Laruça, de 39 anos, começou a cozinhar. Isso foi há 16 anos quando veio para o Brasil. Hoje, o ex-campeão de wakeboard e arquiteto, é dono de dois restaurantes em Belo Horizonte: o Caravela e Capitão Leitão. Se prepara para lançar o terceiro. Na cozinha, de gastronomia portuguesa, gosta de trabalhar com afeto, memórias e de fazer amigos. Na primeira reportagem da série sobre chefs que atuam na capital mineira, Cristóvão ensina uma receita de Açorda Alentejana e revela histórias da vida.

“Aos 24 anos, recém formado em arquitetura, sai do maior ateliê de Lisboa e vim para um projeto de alguns meses na Bahia. Estou no Brasil até agora e nunca imaginei trabalhar com a gastronomia. Aconteceu”, relembra. O convite veio de uma portuguesa que investia em Salvador. O jovem teve apenas poucas horas para aceitar a proposta que mudaria o rumo da vida dele.

Aterrissou na capital baiana em pleno carnaval. Se encantou pelas belezas do lugar e resolveu ficar. Montou uma pousada e um restaurante. “A distância de Portugal só se encurtava quando ia para cozinha. Lembrava dos almoços em família e com os amigos. A gastronomia é muito forte no país. Comecei cozinhando em casa, fui para o restaurante e segui”, conta.

No Nordeste, trabalhou em projetos sociais. Viajou pelo Brasil. Foi em Pirenópolis, em Goiás, que conheceu a esposa, que está grávida do primeiro filho do casal. Em 2014 se mudou para Minas. Sendo assim, fundou o Caravela, em Casa Branca, distrito de Brumadinho. Logo depois, em 2017, transferiu o empreendimento para o museu Abílio Barreto, em Belo Horizonte. Dois anos seguintes, lançou o Capitão Leitão, no bairro Santa Tereza. Clique aqui para conhecer nossas impressões sobre o local.

Gastronomia portuguesa

A primeira casa é de culinária portuguesa. Menu com tradição familiar e toques especiais. A especialidade da casa são as cataplanas, panelas de cobre portuguesas, em que são preparados pratos típicos de Bacalhau e Camarão. A segunda tem o cardápio dedicado ao leitão assado à bairrada e menu personalizado. “Uma cozinha com afeto. Não tenho formação acadêmica. Contudo, cozinho o que aprendi em casa e na vida. Estudando por conta própria e ainda fiz estágio em um restaurante na Austrália”, conta.

Sendo assim, o Caravela já recebeu diversos prêmios, por exemplo, o de melhor prato da Festa Portuguesa e melhor restaurante português, eleito pela revista Encontro. “Fico muito feliz em ver a satisfação dos clientes. Muitos viraram amigos”, revela. Durante a pandemia, as casas têm realizado delivery. No Caravela, Cristóvão cozinha e faz as entregas. No Leitão, conta com uma equipe. Teve que se reinventar: não dispensou funcionários e parcelou os débitos com fornecedores.

O maior impacto do coronavírus para o chef foi o adiamento da inauguração do terceiro restaurante na capital mineira. O Turi seria inaugurado em maio no Ponteio Lar Shopping. Em síntese, a casa, que segue sem data para abrir, terá pratos feitos exclusivamente em fogão à lenha. Será especializada em peixes e frutos do mar em brasa e carnes dry aged. “Enquanto aguardo, sigo cozinhando, passeando com meus cachorros e refletindo a vida”.

 

Açorda Alentejana – Foto: Cristóvão Laruça / Divulgação

Receita do Chef

Como sugestão de prato, Cristóvão ensina uma Açorda Alentejana. Sopa típica de Alentejo, região do centro-sul de Portugal. Segundo ele, um prato fácil, rápido e bom para esquentar o corpo em tempos clima amenos.

INGREDIENTES
– 200gr de Cação em postas
– 50gr de torradas de pão (bem fininhas)
– 3 dentes de alho
– 1 colher de sopa de farinha
– 50ml azeite
– 10ml vinagre de vinho
– 1l de água
– Coentro a gosto
– Sal
– Pimenta do reino

MODO DE PREPARO

– Dilua a farinha de trigo no litro de água e reservar;

– Em uma panela, no fogo, coloque o azeite, o alho e refogar levemente;

– Em seguida, tempere o cação e colocar na panela. Deixe dourar dois minutos de cada lado;

– Logo depois, despeje a mistura da água e farinha, tempere com sal e pimenta. Deixe cozinhar até engrossar (De 5 a 8 minutos);

– Despeje o coentro picado e finalize com vinagre a gosto;

– Para servir, coloque as torradas no fundo do prato, em seguida os pedaços do peixe e regue com caldo da sopa.

photo

Delivery: dicas de 15 restaurantes de BH que entregam menus para você ficar em casa

Além de ficar em casa, a crise que o Coronavírus gera pede também colaboração. Se você sempre foi aquele tipo de pessoa que curtia o bar com os amigos, sair para almoçar ou jantar em restaurantes, não vai ser agora que vai deixar de apoiar o seu local preferido, não é mesmo? Muitos estabelecimentos precisaram […]

LEIA MAIS
photo

Friozinho: saiba onde pedir caldos por Delivery em BH

Segundo a meteorologia, o clima em Belo Horizonte e região ficará frio nos próximos 15 dias. A temperatura máxima não passará da casa dos 25°C. Atenção: é a máxima, viu! Então já dá para imaginar a sensação térmica. Nesse friozinho, nada melhor que tomar um caldo. Sendo assim, separamos cinco estabelecimentos da capital mineira que […]

LEIA MAIS
photo

Vegetarianos e veganos: 10 deliverys para apoiar o comércio na quarentena

Publicamos uma lista com 15 dicas de estabelecimentos que estão entregando por delivery na quarentena. Isso porque diversas empresas estão precisando se adaptar para driblar a crise. Alguns optaram por atender os pedidos por WhatsApp, por telefone e pelos aplicativos de entrega. O mesmo ocorreu com os vegetarianos e veganos, que são os protagonistas na […]

LEIA MAIS