Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Ricardo Aleixo ministra ciclo de três palestras online

Gostou? Compartilhe!

Iniciativa tem como ponto de partida o livro “Sonhei com o Anjo da Guarda o Resto da Noite – Memórias”, lançado por Ricardo Aleixo em 2022

O escritor/poeta, performer e artista visual Ricardo Aleixo vai ministrar, a partir do dia 13 de maio, um ciclo de palestras (três, ao todo) sobre a própria trajetória, tendo como ponto de partida o livro “Sonhei com o Anjo da Guarda o Resto da Noite – Memórias”, lançado pela editora Todavia, em 2022. No curso da experiência, serão abordados vários tópicos – entre eles, o enlaçamento, na obra de Aleixo, de questões técnicas, formais, teóricas e temáticas. Tal qual, a relação crítico-criativa que o autor mantém, desde o início, com o legado das vanguardas históricas e com a experiência afro-diaspórica.

Neste caldeirão, também entram tópicos como o par memória/imaginação, a intermedialidade como princípio estético, bem como a ancestralidade como baliza ética e a contínua problematização do contexto social e político no Brasil. E, ainda, a importância do espaço urbano na definição do seu projeto criativo, a recepção de seu trabalho no exterior e a concepção pessoal de “gestão de carreira”.

Ricardo Aleixo, que, em maio, ministra, online, ciclo de conferências (Rafael Motta/Divulgação)
Ricardo Aleixo, que, em maio, ministra, online, ciclo de conferências (Rafael Motta/Divulgação)

Formação e processos criativos

O ciclo, como já assinalado, se baseia no livro homônimo, lançado por Aleixo no final de 2022. “Este livro por seu turno, que é de memórias, ele tem como chão básico o convite que a Todavia me fez para contar a minha história de vida como artista, como escritor, como poeta, para a juventude brasileira, para os adolescentes e jovens, principalmente que gostaram muito de (antologia poética) ‘Pesado Demais para a Ventania’, lançado pela mesma editora em 2012”.

O livro, lembra Ricardo Aleixo, teve bastante êxito junto ao público mais jovem. “Assim, a editora me sugeriu contar como foi a minha formação. E, na minha opinião, a questão da formação e dos processos criativos de poetas e artistas, é um dos grandes segredos da arte e da cultura brasileiras. Aliás, pouco se fala disso. Em geral, se fala de algum cacoete, de alguma questão ‘menor’, que acaba não ajudando as gerações mais jovens a pensar que é possível desenvolver um trabalho sério, consequente, honesto, a partir da pesquisa, do estudo, da dedicação intensiva à área escolhida”.

Pulsão

Desse modo, Ricardo Aleixo se diz feliz por poder compartilhar, com as gerações que chegaram depois dele (“e são muitas, já, né?”), a vida dele. “Que já vai se tornando longa”. Aliás, de acordo com ele, a idade também é tema do ciclo de palestras. “Porque eu tenho tematizado isso. Ou seja, como é, hoje, aos 63 anos, me sentir com o mesmo impulso criativo de quando eu tinha 18,19, 20 e poucos anos… Portanto, é disso que trata ciclo de palestras. A vontade de compartilhar – com o mais largo espectro, com o maior número possível de pessoas – o que, no curso desse tempo, eu vim fazendo, estudando, aprendendo a fazer… E continuo muito curioso quanto a tudo o que me instiga”.

Leminski

Ricardo Aleixo recorre a Paulo Leminski (1944 – 1989) para especificar mais o pensamento. “Numa carta a um amigo, em meados de 1978 – que curiosamente é o ano em que comecei a criar – ele escreve sobre a propriedade coletiva dos bens de invenção. Ele está defendendo que, quando se inventa, quando se coloca a criatividade no grau máximo, isso não é do artista, do poeta em si. Ou seja, pertence a toda a gente que queira se apropriar disso. Então, a minha vontade, com esse ciclo de palestras é oferecer às pessoas que acompanham o meu trabalho – e, felizmente, são muitas – a possibilidade de lidar com esse repertório que não é só meu, que começou a ser forjado antes de mim e que vai sobreviver à minha passagem pela terra”.

Mudança

Recentemente, Ricardo Aleixo se mudou para a Bahia, onde atua como professor convidado da Universidade Federal da Bahia (UFBA). No entanto, neste momento, está se preparado para, em setembro, se mudar para os EUA. “Vou passar uma temporada longa com a minha mulher e parceira de trabalho, Natália Alves, que conquistou uma bolsa para fazer doutorado sanduíche”. E complementa. “Assim, esse ciclo de palestras é também uma espécie de despedida do Brasil. Me deu vontade de compartilhar isso, o meu trajeto até agora, de organizar esse ciclo”.

Serviço

Ciclo de palestras com Ricardo Aleixo
Quando. Dias 13, 14 e 17 de maio (segunda, quarta e sexta), das 19 às 21h.
Onde. Via Google Meet
Número de vagas. 40
Valor do investimento: R$ 300
Será fornecido certificado

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]