fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

AFRO, primeiro disco de Douglas Felipe, ex-Olodum, celebra ancestralidade e mescla influências

Álbum foi gravado em Los Angeles com selo independente e está disponível no Spotify

Por Jaiane Souza *

05/02/2021 às 18:03 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Douglas Felipe / Divulgação

30 anos de estrada, mais de 80 países e trabalhos com grandes nomes como Carlinhos Brown, Olodum, Bjork, Gilberto Gil, Ivete Sangalo, Jorge Ben Jor, Chico Science e Nação Zumbi e muitos outros. Essa é uma parte da carreira de Douglas Felipe, que acaba de lançar o primeiro álbum após contribuir com dezenas de artistas ao longo das três últimas décadas. No disco AFRO, composto por 11 faixas, o multi-instrumentista, arranjador e compositor valoriza a cultura brasileira e a ancestralidade.

Mesmo com a participação de grandes nomes da música nacional e internacional na vida do artista, as referências anteriores vêm em primeiro lugar. “Eu nasci e cresci na Escola de Samba Inconfidência Mineira, ao lado do Mestre Conga, ícone do samba em Minas, meu tio. Minha mãe é pianista, meu pai compositor, avô sanfoneiro. Então, cresci respirando música”, explica Douglas Felipe. Ou seja, o resultado de AFRO não poderia ser diferente, emana ancestralidade já que a música está presente desde sempre na vida do artista. 

A mensagem 

Além de negritude e ancestralidade, o disco AFRO manifesta mensagens de reflexão que vão do amor ao protesto. Entretanto, tudo veio espontaneamente. “Não foi nada pensado. Quando pensa, as coisas perdem a naturalidade. São manifestações inerentes ao cotidiano, algumas vividas e outras manifestadas por meio de sonhos. A maioria foi assim, o que me faz acreditar que as mensagens chegam por meio dos meus guias, das entidades. Eu levanto e componho”, detalha. Ritmicamente o álbum traz afoxé, axé, afro beat, candombe, samba, samba reggae, forró e reggae.

Além disso, AFRO foi lançado em 2 de fevereiro, dia de homenagem a Iemanjá, mas também celebra a vida de Mestre Conga, tio de Douglas Felipe e fundador da Escola de Samba Inconfidência Mineira. No mesmo dia do lançamento do disco ele completou 94 anos.

Gravado de forma independente em Los Angeles, o trabalho tem percussão de Japa System. Ademais, participação dos baixistas Cesario Leony e Elpido Bastos, teclado de Douglas Felipe e mixagem e masterização de Marcelo Sabóia.

Ouça no Spotify.

afro

Foto: Douglas Felipe / Divulgação

photo

Cursos culturais, oficinas e editais com inscrições abertas em fevereiro

Fevereiro chegou chegando e que tal um curso de artes, uma oficina de crítica cinematográfica ou aproveitar um sábado com a família em uma oficina de histórias? Se interessou? Selecionamos algumas opções com inscrições abertas em fevereiro. Além disso, escritores e músicos também têm a possibilidade de participar de editais e concorrer a prêmios em […]

LEIA MAIS
photo

Globo de Ouro 2021 faz história ao indicar três mulheres a melhor direção 

O Globo de Ouro 2021 já é histórico, afinal de contas, três mulheres concorrendo ao prêmio de melhor direção não tem notícia melhor, né! Chloé Zhao, Regina King e Emerald Fennell, vocês são nosso orgulho.  Esse fato é tão significativo e um resultado prático de todo o movimento do Times Up que, de fato, muda […]

LEIA MAIS
photo

“Ô abre alas”, primeira marcha de carnaval do Brasil, inspira livro infantil

A primeira marchinha de Carnaval brasileira foi composta por uma mulher: Chiquinha Gonzaga! Essa história serviu como inspiração para o livro Ô abre alas, do ilustrador paulistano Duda Oliva. A homenagem para a artista vem em formato de livro infantil e conta a história de uma cidade cinzenta que ganha cor por meio da música. […]

LEIA MAIS