fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Em final confuso, Oscar 2017 consagra Moonlight e surpreende Hollywood

Por Carol Braga

26/02/2017 às 23:03

Publicidade - Portal UAI
Equipe de La La Land recebe o prêmio equivocadamente. O real vencedor é Moonlight.

Equipe de La La Land recebe o prêmio equivocadamente. O real vencedor é Moonlight.

Foi o Oscar mais surreal da história. O que foi aquilo, gente?!?! Erram na hora de apresentar a categoria mais esperada. Deu zebra. Moonlight recebeu com atraso e com climão o grande prêmio da noite. Que avanço, Academia! Que bonito! Reconhecer o mérito de um filme que trata de questões importantes mas que antes eram desconsideradas pelo cinema. Em especial o produzido em Hollywood.

Nunca o Oscar começou em tão alto astral e terminou de maneira tão surpreendente. Justin Timberlake abriu a cerimônia já mandando ver com a canção indicada na trilha da animação Trolls. Colocou a galera para cantar e dançar.

Abriu alas para o apresentador Jimmy Kimmel. O estreante no posto chegou cheio de ironias. Falou sobre a transmissão da cerimônia para 245 países que agora nos odeiam. Citou o espinhoso tema da diversidade “As pessoas negras salvaram a NASA e as pessoas brancas salvaram o jazz”, disse em uma brincadeira com os filmes Estrelas além do tempo e La La Land.

Veja o momento em que o Oscar é entregue por engano à equipe de La La Land.

https://www.youtube.com/watch?v=v3RLFhwzUgk

Como é tradição, o apresentador provocou quase todos os indicados. Meryl Streep, claro, foi ovacionada. Jimmy, mais uma vez, ironizou: “Você vai fazer um discurso e o presidente dos estados unidos vai fazer um comentário no Twitter amanhã”.

Os protestos apareceram nos discursos porém de maneira bem mais leve do que eu pensei. O presidente Donald Trump foi cutucado. Mas sempre no tom televisivo do humor norte-americano.

O primeiro discurso da noite foi de Mahershala Ali, melhor ator coadjuvante por Moonlight: Sob a luz do luar. Ele foi no básico: agradeceu professores, empresário e a mulher grávida.

Mesmo sem o Oscar de melhor filme, La La Land foi o mais premiado. Foram seis estatuetas (direção, desenho de produção, fotografia, trilha sonora, canção e atriz).

Animais fantásticos e onde habitam tirou de La La Land a primeira possibilidade de prêmio ao vencer o Oscar de melhor figurino.

Os prêmios foram bem distribuídos. Vitórias de ‘A chegada’ na edição de som e ‘Até o último homem’ de Mel Gibson na mixagem deram sinais de que o favoritismo de La La Land já não era mais o mesmo. Lembrando que no Globo de Ouro o longa dirigido por Damien Chazele ganhou os sete prêmios para os quais estava indicado.

O ótimo ‘O apartamento’ levou o Oscar de melhor filme em língua estrangeira. O diretor Asghar Farhadi não foi em respeito aos iranianos impedidos de entrar nos EUA. Mandou um ótimo recado: “Dividir o mundo entre nós e os inimigos gera medo e justifica agressão e guerra. Essas guerras impedem o desenvolvimento da democracia. os cineastas podem usar as câmeras para mostrar qualidades humanas e romper estereótipos”.

Casey Affleck e Emma Stone confirmaram as apostas e conquistaram respectivamente os prêmios de atriz e ator. Manchester à beira-mar, protagonizado por Affleck, conquistou também o Oscar e roteiro original. A estatueta de roteiro adaptado foi para Moonlight, o filme que faz história: pela trama que conta, pela forma que narra, pelos temas que aborda e pela maneira como leva o maior prêmio da indústria cinematográfica.

Bravo, Academy. Foi um Oscar justo e bastante surpreendente!

Resultados do Oscar 2017

Melhor filme
“Moonlight: Sob a luz do luar”

Melhor diretor
Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)

Melhor roteiro original
“Manchester à beira-mar”

Melhor roteiro adaptado
“Moonlight: Sob a luz do luar”

Melhor ator
Casey Affleck (“Manchester a beira mar”)

Melhor atriz
Emma Stone (“La La Land – Cantando estações“)

Melhor ator coadjuvante
Mahershala Ali (“Moonlight: Sob a luz do luar“)

Melhor cabelo e maquiagem
“Esquadrão suicida”

Melhor figurino
“Animais fantásticos e onde habitam”

Melhor documentário
“O.J. Made in America”

Melhor edição de som
“A chegada”

Melhor mixagem de som
“Até o último homem”

Melhor atriz coadjuvante
Viola Davis (“Um limite entre nós”)

https://media4.giphy.com/media/l44Qgk6Gyd4H8Dd5K/giphy.gif

Melhor filme em língua estrangeira
“O apartamento”

Melhor curta-metragem de animação
“Piper”

Melhor animação
“Zootopia”

Melhor design de produção
“La La Land: Cantando estações”

Melhores efeitos visuais
“Mogli”

Melhor montagem
“Até o último homem”

Melhor documentário em curta-metragem
“The white helmets”

Melhor curta-metragem
“Sing”

Melhor fotografia
Linus Sandgren (“La La Land: Cantando estações”)

Melhor trilha sonora
Justin Hurwitz (“La La Land: Cantando estações”)

Melhor canção original
“City of stars” (La La Land: Cantando estações”)

John Legend interpreta a canção de La La Land

 

 

 

photo

Série ‘Videoclipers’ quer transformar a forma como se faz clipes no Brasil

Conhecidos pela série ‘A Volta Ao Mundo Em 80 Videoclipes’, Diana Boccara e Leo Longo estão de volta ao batente. É a série ‘Videoclipers’, exclusiva para o Youtube. O casal passou por oito cidades brasileiras, dentre elas Belo Horizonte, para gravar dezesseis clipes de artistas nacionais. A série mostrará também os desafios de ser um […]

LEIA MAIS
photo

Confira a lista de indicados ao Globo de Ouro 2018

  Com entrega marcada para o dia 07 de janeiro, o Globo de Ouro abre a temporada de prêmios em 2018. Agora começa a temporada de apostas. Faça as suas. Confira a lista completa Melhor Filme – Drama Me chame pelo seu nome The Post Dunkirk A forma da água Três anúncios para um crime […]

LEIA MAIS
photo

Coringa: um filme para reflexões sem fim

Em “No Enxame: perspectivas do digital”, o filósofo sul-coreano Byung-chul Han busca em um livro escrito em 1895 pontos para a reflexão sobre a “era das massas”. Veja bem, o objetivo dele é falar sobre os impactos que a digitalização tem trazido para a vida da gente. Ainda assim, isso implica em uma volta no […]

LEIA MAIS
photo

Conheça Higor Gomes, jovem cineasta mineiro a se prestar atenção

Higor Gomes, 26 anos. Morador do Bairro General Carneiro, em Sabará, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Um jovem comum, com todos os sonhos de sua geração. Um deles, o de se tornar um cineasta, começou a ganhar contornos mais concretos desde o fim de setembro. É que o projeto do primeiro longa-metragem dirigido por ele […]

LEIA MAIS
photo

Hebe: uma cinebiografia que promete, mas não cumpre

É muito mais fácil escrever sobre um filme quando você gosta do que o contrário. Quando a coisa não bate, o exercício de pensar o que pode ter acontecido para a coisa não fluir, dá mais trabalho e nem sempre é possível explicar. É exatamente o que sinto depois de ver Hebe – a estrela […]

LEIA MAIS
photo

Cine 104: encontros com diretores marcam nova fase do espaço

Há quase dois meses da sua reabertura o Cine 104, no centro de Belo Horizonte, ainda tenta recuperar o público. Fechada desde dezembro de 2017 por falta de patrocínio, a sala de cinema voltou a funcionar no dia 7 de agosto. Desde então, vem traçando estratégias para atrair o público por meio da experiência. Ou […]

LEIA MAIS