Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Conheça o Sebo Aborto Literário

Gostou? Compartilhe!

Idealizado por Eiko Marconi, o Sebo Aborto Literário funciona na Rua do Ouro, 594, na Serra

Patrícia Cassese | Editora Assistente

Foi no dia 24 de setembro do ano passado que a capital mineira ganhou um novo – e diferenciado – sebo: o Aborto Literário. No caso, no bairro da Serra – precisamente, na Rua do Ouro, 594. A empreitada, tocada por Eiko Marconi, no entanto, começou um pouco por obra do acaso. Tudo começou quando Eiko resolveu se mudar da casa em que morava para um apartamento que, segundo ele, era bem menor. “Assim, consegui vender algumas coisas de casa, móveis e tal. No entanto, quando tentei vender os livros, não conseguia. Daí, pensei: ‘Poxa, o que fazer com esse tanto de livro?’ O apartamento para o qual estava indo não ia suportar. Então, pensei na venda online”.

Eiko Marconi, nome à frente do Sebo Aborto Literário (Hechisa Thamis/Divulgação)
Eiko Marconi, nome à frente do Sebo Aborto Literário (Hechisa Thamis/Divulgação)

Foi quando teve a ideia de comercializá-los em um sebo. “Falei: quer saber? Gosto de livros, gosto de sebos. Portanto, vou abrir um”. E assim surgia o Aborto Literário. O nome, na verdade, veio do título de um livro escrito pelo próprio Eiko, e que ainda não veio à luz. É que, atualmente, a obra participa do processo de seleção de um concurso literário.

Falar, para não sufocar

Eiko comenta que o título lhe acorreu a partir de uma frase que é atribuída a Clarice Lispector: “Perdi muito tempo até aprender que não se guarda as palavras. Ou você as fala, as escreve, ou elas te sufocam”. Assim, diz ele, veio à sua mente algo similar a um aborto, mas um aborto literário. “Na verdade, eu queria (referindo-se ao livro) um nome forte, que impactasse. Daí, por muito tempo fiquei pensando nele como o nome do livro mesmo. Mas Aborto Literário também virou uma página (no Instagram) de literatura – aliás, já tem até uma logo (logomarca)”.

Venda física

O horário de funcionamento do espaço físico é de 9 às 18 horas, de segunda a sexta. Aos sábados, até às 13h. Além da venda presencial, o Aborto Literário também pratica a venda de títulos online. Neste caso, para citar um exemplo, marca presença no site Estante Virtual. Abaixo, pilha de livros prontos para serem enviados pelos Correios (Reprodução Instagram)

No caso do endereço físico, alguns dos livros são colocados no próprio passeio da rua do Ouro – obviamente, conforme as regras estabelecidas pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. “E é o que justamente chama a atenção de pessoas que vão passando”. Mas, para não danificar as edições, Eiko conta que adota uma série de medidas. “Ou seja, para, por exemplo, não sofrerem desgastes causados pelo sol. Inclusive, a gente também está preparado para protegê-los de eventualidades como vento ou uma chuva repentina”.

Títulos dos mais diversos gêneros estão disponíveis no Sebo AL (Hechisa Thamis/Divulgação)
Títulos dos mais diversos gêneros estão disponíveis no Sebo AL (Hechisa Thamis/Divulgação)

Doações

O acervo, conta Eiko, sobrevive praticamente de doações. Mas sim, eventualmente são feitas algumas compras específicas. “No entanto, o que mais contribui são as doações. Geralmente, feitas por pessoas que estão com um livro parado em casa e querem dar um bom destino a ele”. Ele conta que, no geral, os livros mais procurados são os clássicos brasileiros. Abaixo, parte do estoque (Hechisa Thamis/Divulgação)

O livreiro conta que o Aborto Literário também firmou parceria com a biblioteca de uma unidade prisional. Assim, alguns livros são encaminhados para lá. “Por exemplo, títulos que vão se repetindo. Mas, veja, estamos tentando tocar esse projeto de forma que os livros encaminhados sejam bons, para efetivamente montar um acervo interessante (para as pessoas em situação de cárcere). Então, mantemos contato com um professor de lá, e, desse modo, vamos nos organizando para realmente oferecer uma leitura de qualidade”.

Leia Mais

O Aborto Literário também tem uma iniciativa social, o Projeto Leia Mais. “Nele, a gente prioriza a doação de livros infantis para o Aglomerado da Serra. Veja, isso não significa que o sebo não venda livros infantis – comercializamos também. Só que a maioria dos títulos deste nicho, a gente encaminha mesmo para doação. Então, sempre que possível, vamos a algum local que tem essa carência (de formação de biblioteca) para conversar. Da mesma forma, há outros projetos sociais em andamento, sempre visando o incentivo à leitura”, diz Eiko.

Serviço

Sebo Aborto Literário

Onde. Rua do Ouro, 594, Serra

Saiba mais acessando o perfil do Instagram clicando aqui

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]