fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

CineBH e Max começam com dobradinha de clássico e contemporâneo

Por Carol Braga

23/08/2017 às 10:46

Publicidade - Portal UAI

Exibição de ‘O Garoto’, de Charles Chaplin com Orquestra Sesiminas. Crédito: Ana Ribas/Culturadoria

Por Francyne Perácio*

Luz, câmera e muita emoção foi o que presenciou quem assistiu a abertura da 11ª CineBH e 8º Brasil CineMundi na Praça da Estação na noite do dia 22 de agosto.  O caos urbano do hipercentro foi cuidadosamente abafado pela música e elementos visuais presentes no local. E foram muitos!

O show de jazz e blues era o cartão de visita antes da exibição de cinema. A exposição “A cidade em movimento”, montada em painéis e andaimes formou uma área de convivência. Estampa imagens de cidadãos em diferentes situações e pergunta: “Quem movimenta a cidade?” Em cada foto uma resposta: pessoas, inclusão, representatividade, mudanças e comunidade.

Para iniciar os trabalhos audiovisuais, em parceria com a Max, Minas Gerais Audiovisual Expo, a Cine BH exibiu o clássico do cinema, o longa “O Garoto” (1921), de Charles Chaplin. Apesar do vento frio na noite de terça, os holofotes continuaram posicionados para o Cine-Praça, uma estrutura com 900 lugares e um telão. Sem falar nos pufes espalhados pelo cinema ao ar livre.

O tempero final do espetáculo estava na participação da Orquestra de Câmara Sesiminas, regida pelo maestro Felipe Magalhães. A trilha sonora produzida ao vivo pelos músicos foi especialmente recriada para o evento.

Continua após a publicidade...

Abertura da Cine BH. Crédito: Ana Ribas/Culturadoria

Pré-estreia de “Corpo Elétrico”

Simultaneamente às apresentações na Praça da Estação, no Cine Theatro Brasil Vallourec, um mix de música, imagens e poemas completaram a programação da noite. Quem roubou a cena foi a atriz Lira Ribas, aproveitou o momento e deu o recado: “As gay, as bi trans e as sapatão, ta tudo organizada para fazer revolução!”

Antes de exibir para o público “Corpo Elétrico”, primeiro longa-metragem do mineiro Marcelo Caetano, o ator, crítico, cineasta e músico francês Piérre Leon recebeu o Troféu Horizonte. A mostra homenageia o artista e promove a retrospectiva de 14 filmes produzidos por ele.

Continua após a publicidade...

O filme

“Corpo elétrico” narra a história do cotidiano de jovens adultos trabalhadores de uma fábrica em São Paulo. O diferencial da obra está na abordagem dada no convívio entre os personagens. Alguns são homossexuais, como é o caso de Elias, paraibano de 23 anos, interpretado por Kelner Macedo. Vive relacionamentos abertos e não esconde quem é.

No longa é perceptível a ausência de ligações com a instituição família e ideologias sociais, o foco é levantar a bandeira do respeito à liberdade do outro. O que teve tudo a ver com a performance que abriu a Mostra Cine BH.

Sexo não é uma questão no filme dirigido por Caetano. O protagonista se entrega aos diversos parceiros que conquista ao longo do filme. Outro destaque para as participações especiais de Mc Linn da Quebrada e Márcia Pantera na trilha sonora e elenco.

Mostra CineBH

O tema central é “Cinema de Urgência”. Discutir por meio da arte e cultura, em especial os filmes, fatos e assuntos divulgados além de promover o debate sobre as produções cinematográficas referentes às crises vividas no Brasil atualmente.

A programação é variada, workshops, seminários, encontros com diretores, atrações artísticas, oficinas e 101 filmes entre nacionais e internacionais, 59 curtas, 1 média e 41 longas. Serão cinco dias de evento distribuído por nove locais, entre teatros e praças. A entrada é gratuita.

*Sob a supervisão de Carolina Braga

photo

Documentários sobre Bethânia e Adoniran são ovacionados na CineOP

A CineOP é uma Mostra voltada para o cinema como patrimônio e faz um resgate histórico sobre o tema de cada edição. Assim, a maioria dos filmes em exibição não são inéditos. Mas há alguns. As pré-estreias destacadas nesta edição foram  ‘Fevereiros’, de Marcio Debellian, e ‘Adoniran – Meu nome é João Rubinato’, de Pedro Serrano. […]

LEIA MAIS
photo

5 motivos para ver a mostra de Almodóvar no Cine Humberto Mauro

Até o dia 18 de julho, o Cine Humberto Mauro recebe a Mostra Almodóvar. Ela reúne 19 obras do cineasta espanhol e só deixa de fora os sete curtas-metragens do começo da carreira  e os longas Os Amantes Passageiros (2013) e Dor e Glória (2019). Este último que estreou no em junho no Brasil.  Antes […]

LEIA MAIS
photo

O ano de ‘La La Land’. Confira os indicados ao Oscar 2017

Alguma dúvida de que vai dar La La Land no Oscar? Eu não tenho. Particularmente acho sem graça os anos em que há favoritos tão fortes. Acho que quebra o clima de surpresa, os burburinhos que tanto gosto em torno de indicados e vencedores. Pois La La Land se igualou ao número de indicações de […]

LEIA MAIS