Foto: Carlos Alberto / Divulgação
02 abr 2018

Minas abre inscrições para dois editais de circulação

Os artistas mineiros que tem o sonho ou receberam convite para levar o seu projeto cultural ou musical para fora de Minas tem motivos de sobra a comemorar. Estão abertas as inscrições para os programas Circula Minas e Música Minas. Os editais incentivam à disseminação da cultura e da música produzida no Estado para regiões de dentro e fora do país.

Os investimentos são de, respectivamente, R$ 300 mil e R$ 700 mil. Os valores são revertidos em ajuda de custo para despesas com passagens, seguros de viagem, hospedagem, alimentação, entre outras para viagens por municípios de todo o Brasil e dos cinco continentes do mundo. As inscrições para ambos os projetos serão divididas em quatro seleções. A última vai até o dia 31 de agosto.

CIRCULA MINAS

O Circula Minas é dedicado a apoiar viagens e promover a difusão e o intercâmbio da cultura mineira. Projetos de artes visuais, circo, dança, teatro, literatura, afrodescendente, LGBT e folclore podem participar. Nos últimos três anos o projeto levou a cultura mineira aos cinco continentes do mundo.

O programa Circula Minas surgiu em 2015 a partir de uma demanda recorrente dos artistas mineiros. “Muitos recebiam convites para festivais fora e não tinham como custear os gatos com a viagem. Então, o governo percebeu a necessidade de dar uma ajuda de custo aos projetos e leva-los além das fronteiras de Minas”, explica Tatiana Nonato, diretora de informação e fomento da Secretaria de Cultura de Minas.

Desde o seu surgimento, o Circula Minas já contemplou 105 projetos das mais diversas manifestações artísticas e  256 pessoas. Ao todo, foram 25 países e nove cidades brasileiras receberam a cultura mineira durante os três últimos anos. No ano passado, o grupo de grafite “Minas de Minas” foi contemplado pelo edital e levou o projeto para um encontro internacional em Sergipe.

“A gente não conseguiria ter viajado sem o apoio do edital. Participamos de muitos eventos ao longo do ano e não teríamos dinheiro para ir. Com o edital conseguimos R$1.050 para cada integrante o que custeou a passagem e alimentação. O maior aprendizado foi a experiência de termos entrado em contato com uma cultura diferente e ainda conhecemos novos trabalhos”, conta a grafiteira Carolina Jaued.

NOVIDADES NO CIRCULA MINAS

Em 2018 os valores dos incentivos para todos os destinos foram reajustados. O montante destinado será individual ou por integrante, em casos de propostas que envolvam execução coletiva. O valor máximo por grupo será de R$12 mil para viagens nacionais e de R$32 mil para viagens internacionais.

Os projetos apresentados podem ser contemplados total ou parcialmente, a depender da disponibilidade de recursos.  O edital ainda prevê que 10% de todos os recursos destinados a projetos de fora, que pretendem se apresentar em Minas. As propostas são avaliadas por uma comissão composta por quatro técnicos da secretaria.

 

O grupo de grafite “Minas de Minas” foi contemplado pelo edital e levou o projeto para um encontro internacional de graffiti em Sergipe, em 2017. Foto: Carlos Alberto / Divulgação

MÚSICA MINAS

Já o Música Minas chega em 2018 à sua 10ª edição.  Trata-se de um edital de incentivo à disseminação e o fortalecimento da cadeia criativa e produtiva exclusivo da música autoral independente mineira. Assim como Circula Minas, oferece aos artistas musicais ajuda de custo para despesas em viagens pelo país e pelo mundo.

Em 2017, o Música Minas contemplou 56 propostas e garantiu a circulação de 210 pessoas. Em 2015 e 2016 o edital viabilizou 111 projetos. Promovendo a viagem de 349 integrantes da cadeia criativa e produtiva da música.

Graças a ele que o músico Tulio Araújo foi para os Estados Unidos, onde lançou seu terceiro álbum “Monduland” acompanhado de um quarteto. “A viagem foi primordial para selar a certeza de que tenho uma carreira internacional. Além de ter me estabelecido novas conexões, mostrar todo o potencial da música mineira e fechar novas apresentações. Agora, tenho agenda pelo menos duas vezes ao ano em Nova York”, relata o panderista.

Para o diretor de programa e articulação institucional da Secretaria de Cultura de Minas, Marco Tulio Barbosa, o Música Minas valoriza a arte, a formação do artista musical e o intercâmbio. “A circulação é importante para estabelecer parcerias e  novos intercâmbios. Além disso, há outras possibilidade de formação, contrato para shows e oportunidade de mostrar a música de Minas para outros lugares”.

NOVIDADES NO MÚSICA MINAS

Uma das novidades do edital do Música Minas é a participação da sociedade civil na comissão de avaliação de projetos. A iniciativa atende a uma demanda dos agentes e produtores musicais. Outra mudança prevê que a partir deste ano o clipping e o portfólio serão analisados conjuntamente pela comissão que avalia as propostas, facilitando o entendimento e a entrega dos documentos obrigatórios pelos proponentes.

Estrangeiros residentes em Minas Gerais podem participar, desde que residam a no mínimo um ano e que integrem alguma proposta de execução coletiva.

No intuito de ampliar a distribuição dos recursos, neste ano o proponente poderá receber apoio parcial, caso seja alcançado o limite de R$175 mil por período de seleção. Os valores dos incentivos para todos os destinos foram reajustados a fim de efetivar o apoio às viagens.

O valor máximo por grupo será de R$12 mil para viagens nacionais e de R$ 65 mil para viagens internacionais.

Pelo Música Minas o panderista Tulio Araújo viajou no ano passado com seu grupo para os Estados Unidos, onde lançou seu terceiro álbum, intitulado “Monduland” – Foto: Omar Freire / Divulgação.

INSCRIÇÕES FLEXÍVEIS

Uma novidade nesta edição para os dois editais são as inscrições flexíveis. Agora as propostas podem ser inscritas durante todo o ano, não ficando limitadas às datas das viagens estipuladas pelas seleções. Os proponentes que planejam embarcar somente em dezembro já podem pleitear os recursos.

As inscrições estão abertas para qualquer período de viagem em 2018. E serão divididas em quatro seleções. Sendo a primeira até 10 de abril, para projetos que vão viajar entre 10 de maio e 30 de junho. A segunda se realizará até o dia 21 de março, para viagens previstas entre primeiro de julho e 31 de agosto.

Aqueles que estão com viagens marcadas entre primeiro de setembro e 31 de outubro podem se inscrever até o dia 16 de julho. As inscrições finalizam em 31 de agosto para viagens previstas entre primeiro de novembro e 31 de dezembro. O proponente pode se inscrever mais de uma vez caso o projeto não seja aceito na primeira seleção.

Como forma de garantir a pluralidade e democratização do acesso aos recursos, os dois editais estabelecem critérios de desempates. Prioridade para projetos que contemplem as culturas afrodescendentes e indígenas e que tenham como tema as mulheres, LGBTs e pessoas com deficiência. Propostas provenientes do interior também entram no conceito avaliatório.

Os interessados podem acessar os dois editais e os formulários de inscrições no site www.cultura.mg.gov.br.

 

Continua após a publicidade

 

 

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

Miles Davis, carne e Pampulha: conheça Soul Jazz Burger

Por Gabriel Lacerda burger Como se destacar no mercado gastronômico competitivo de BH? Essa foi uma das perguntas que Bárbara, Bruno, Érico e Maíra fizeram antes de abrir a Soul Jazz Burger. Os quatros amigos, amantes do ritmo musical, perceberam que não existiam locais na capital mineira no qual as pessoas pudessem aproveitar clássicos do […]

Leia Mais

Primavera dos Museus 2018: onde ir e o que fazer

A décima segunda edição da Primavera dos Museus é nesta semana. Até o dia 23 de setembro mais de 900 instituições em todo o país participam do projeto. O tema é “Celebrando a Educação em Museus”. Dessa forma, o evento propõe uma reflexão sobre uma das principais funções do museu, como educar e contribuir no […]

Leia Mais

Confira o processo de montagem das três novas exposições do Inhotim

O primeiro adesivo de poá, dos muitos, que compõe a obra ‘I’m Here, But Nothing’, de Yayoi Kusama, exposta na Galeria Lago, foi colado por María Eugenia Salcedo, diretora artística adjunta do Inhotim. Ela e a curadora assistente, Cecília Rocha, acompanham de perto cada detalhe do processo de montagem das 17 obras temporárias que serão inauguradas […]

Leia Mais

Comentários