João das Neves em cena. Foto: Daniel Brito/Divulgação
21 out 2016

A volta de João das Neves à vida de ator

João das Neves em cena. Foto: Daniel Brito/Divulgação

João das Neves em cena. Foto: Daniel Brito/Divulgação

Lá se vão 25 anos desde que João das Neves pisou no palco como ator. Até que, por coincidência, Lazarillo de Tormes, texto do século XVI, de um autor anônimo, arrebatou o artista de 82 anos. “Brincamos de fazer teatro o tempo todo. É muito gratificante e profundo”, revela. Pronto, João está de volta à interpretação.

Ele se define como um homem de teatro. Como tal, se reconhece no cordel, nas manifestações indígenas, nas culturas afro-brasileira, nas pichações de rua, no hip-hop e em tudo que aparece como manifestação artística. Tudo diz respeito ao que ele é, não ao que procura ser.

Por isso a montagem que ocupa o palco Sesc Palladium, somente na noite desta sexta (21) mistura diversas linguagens. Tem máscaras, referências à cultura popular, literatura de cordel e até hip-hop. Com o detalhe de contar uma história do século XVI com fidelidade ao texto.

“Não é um personagem do seculo XVI, mas de hoje. Fala de uma maneira crítica de todas as mazelas que estamos vivendo”, define o ator e diretor.

Completam o elenco os atores Glicério Rosário e Rodrigo Cohen. Como será apenas uma sessão a previsão é que a montagem volte para temporada em Belo Horizonte em março de 2017.

No vídeo gravado especialmente para o Culturadoria, João das Neves comenta mais sobre o espetáculo e as motivações sobre a volta ao palco.

Lazarillo de Tormes
Sexta (21), às 21h, no Grande Teatro do Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3214-5350. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia).

 

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

Fim de semana no Fit-BH: cheio de sentidos e vazio de público

Sou da turma que enfrentou mais de 12 horas de fila para comprar um ingresso para ver Peter Brook e Teatro da Vertigem no Fit-BH de 2004. Em 1997, na edição do centenário de BH, também estava lá correndo com uma multidão atrás do Generik Vapeur do Parque Municipal até a Praça da Estação. Antes […]

Leia Mais

Impressões abertura Fit-BH 2018: o que é teatro hoje?

Encostada em uma das árvores centenárias do Parque Municipal, Lus Mar se esforçava para captar alguma cena de Looping: Bahia Overdub. De pé no canteiro, puxou papo. “Você está entendendo alguma coisa?”. Achei melhor fazer cara de incógnita. Naquele momento, a opinião dela me interessava bem mais. “Não estou nem sentindo que estou em abertura […]

Leia Mais

Espetáculos de rua e para crianças em destaque no FIT 2018

O conceito do Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de Belo Horizonte 2018 é Corpos-Dialetos. Ou seja, propõe um olhar sobre as diásporas africanas e a cena nordestina. Analisamos todos espetáculos de rua e os infantis escolhidos pela curadoria e fazemos aqui nossas apostas. Confira! Você pode ainda conferir as apostas entre as peças […]

Leia Mais

Comentários