Mozart é pop. Duvida?

Orquestra Filarmônica de MG

A notícia divulgada pela Revista Billboard de que a coleção “Mozart 225: The new complete edition” é a campeã de vendas em 2016 não deixa de ser curiosa. O compositor morreu em 1791, aos 35 anos e continua poderoso.

Por mais que sejam 225 CDs, com vendas computadas isoladamente, quando Mozart desbanca grandes astros da música pop contemporânea é mais um sinal de que popularidade – além de genialidade e vários outros atributos – é o forte.

Sexta e sábado a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais interpreta uma obra inacabada dele. Advinha? Os ingressos para apresentação de sábado já estão esgotados e, por isso, haverá a sessão extra na sexta. O compositor austríaco foi o homenageado do ano na série “Fora de série”.

O maestro Fabio Mechetti será o regente. Serão executados os concertos A Clemência de Tito, K. 621: Abertura; Concerto para clarinete em Lá maior, K. 622, e o Requiem, K. 626 com participação do clarinetista principal da Orquestra, Marcus Julius Lander, da soprano Mariana Ortiz, da mezzo-soprano Luisa Francesconi, do tenor Luciano Botelho, do baixo Saulo Javan e do Coral Concentus Musicum de Belo Horizonte, sob regência de Iara Fricke Matte.

Todas as obras foram compostas no ano de morte dele, em 1791. O Requiem, K. 626 é uma das missas mais famosas de Mozart. Encomendada naquele ano foi deixada incompleta e finalizada por Franz Xaver Süssmayr, um dos discípulos do austríaco.

Serviço

O QUE? Filarmônica De Minas Gerais apresenta “Requiem”, de Mozart. QUANDO? 9 dez, 20h30 e 10 dez 18h. ONDE? Sala Minas Gerais (Rua Tenente Brito Melo, 1090, Bairro Barro Preto, (31) 3219-9000). QUANTO? Entre R$ 17 (meia) e R$ 98 (inteira).

Um comentário em “Mozart é pop. Duvida?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.