Culturadoria para o seu fim de semana: 22 de setembro

Culturadoria do fim de semana tem dois festivais. Um para quem curte música brasileira, seja aquela da contracultura dos Novos Baianos ou da novíssima de Karol Conká. Tem jazz na Praça do Papa e, no cinema, dois filmes que prometem dar o que falar. Aposte!

BREVE Festival. Crédito Dário Zelis.

BREVE FESTIVAL

O subtítulo desse festival faz muito sentido: música pra durar. Isso porque a programação começa às 14h e rende bem. Serão 13 atrações, distribuídas em três palcos. A sonoridade também é bastante variada. Vai da contracultura dos Novos Baianos até a eletrônica pop do Baianas System, sensação do momento. Tem muito mais! Inclusive Karol Konká, quem vi no palco na recente edição do Meca Inhotim e fiquei impressionada com a força da relação dela e a plateia. Confira a programação completa aqui 

[O QUE] Breve Festival, música Pra Durar [QUANDO] 23 de setembro, 14h [ONDE] Mirante Beagá (Rua Gabriela de Melo, Olhos d’Água, BH) [QUANTO] R$180 [COMPRE AQUI]

I LOVE JAZZ

Evento tradicional para quem gosta do estilo em BH, o I Love Jazz já foi muito maior e robusto. Apesar da programação mais tímida, perto do que foi, continua firme no propósito de democratizar o jazz com shows na praça. Entre os shows de sábado, destaco a cantora sueca Gunhild Carling, multi-instrumentista que impressiona em seu trompete. Domingo tem Taryn & The Art Deco Army. A vocalista desse conjunto carrega uma curiosidade no currículo: é dela a voz de Elsa, a princesa de Frozen, no Brasil.

[O QUE] I Love Jazz [QUANDO] 23 e 24 de setembro [ONDE] Praça do Papa, Mangabeiras [QUANTO] Grátis

Marcelo Veronez. Crédito Randolpho Lamonier.

VERONEZ

Conhecido por noites regadas a muito Roberto, Erasmo, Ney Matogrosso e outros lança o primeiro disco de inéditas na carreira. Deixa o Marcelo de lado e passa a ser só Veronez. Narciso deu um grito tem 10 faixas, entre elas participações de Thiago Delegado, Lira Ribas, Luana Gonçalves e outros. Se o álbum já mistura as múltiplas referências que o artista tem – teatro, carnaval, por exemplo, a versão ao vivo promete ser um espetáculo completo.

[O QUE] Narciso Deu Um Grito, de Veronez [QUANDO] 22 de setembro, 21h [ONDE] Teatro SESIMINAS (Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, BH, (31) 3241-7181) [QUANTO] R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) [COMPRE AQUI] 

Elomar 80 anos. Reprodução da Internet.

ELOMAR 80 ANOS

Autor de mais de 300 canções, um homem recluso, do campo, Elomar celebra os 80 anos com show. O que é raridade! A obra dele tem um pouco de tudo: peças sinfônicas, música de câmara e óperas. Em todos os formatos, Elomar canta o Brasil profundo. Sua festa terá participação de parceiros antigos como Titane, Pereira da Viola e o grupo Ilumiara.

[O QUE] Elomar 80 Anos [QUANDO] 22 de setembro, 21h  [ONDE] Grande Teatro do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, BH, (31) 3270-8100) [QUANTO] Plateia I: R$ 50 (inteira) R$ 25 (meia) R$ 20 (comerciário) Plateia II: R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia) R$ 16 (comerciário) Plateia III: R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia) R$ 12 (comerciário) [COMPRE AQUI] 

INDIE 2017

O cineasta francês Philippe Garrel é o homenageado do Indie 2017, aquele festival internacional de cinema responsável por trazer para as telas de BH filmes que raramente chegariam. Este ano serão 42 produções de 13 países. Sempre gostei da seleção contemporânea feita para a Mostra Mundial. Este ano o Indie chama atenção para o trabalho de oito diretoras: a portuguesa Teresa Villaverde (Colo), a alemã Angela Schanelec (O caminho dos sonhos); a francesa Léonor Serraille (Jovem mulher); a alemã Valeska Grisebach (Western); a americana Sharon Lockhart (Rudzienko) e o primeiro longa da cineasta portuguesa Filipa César (Spell Reel). Programação completa você confere aqui. 

[O QUE] Indie 2017 [QUANDO] 20 a 27 de setembro [ONDE] Cine Humberto Mauro (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro) e Cine SESC Palladium (Av. Augusto de Lima, 420 –  Centro) [QUANTO] Entrada franca (ingressos disponíveis nas bilheterias dos espaços 30 minutos antes de cada sessão)

Mãe!

Mãe! é um filme difícil. Bem difícil. Divide a crítica com razão. Faço parte da turma que não gosta do longa. Acho muito interessante o trabalho de Jennifer Lawrence – legal vê-la em um outro registro de interpretação. Mas o roteiro é complicado de entender. Me pareceu mais uma performance de terror cheia de referências que eu não consegui pegar. Uma piração. Confira a crítica de Inácio Araújo, da Folha S. Paulo.

[O QUE] Mãe!, com direção  Darren Aronofsky e distribuição Paramount Pictures

Esta é a sua morte

O filme tem um tema muito delicado: o suicídio. Junto com isso ainda tem uma crítica a essa nossa mania de reality shows. No longa, o ator Josh Duhamel interpreta um apresentador de um programa bem macabro. As pessoas são pagas para se matarem ao vivo. Olha que loucura! Ao mesmo tempo em que gera audiência, instaura–se a polêmica.

[O QUE] Esta é a sua morte: O Show, com direção Giancarlo Esposito e distribuição Cineart Filmes

CIRCO ZANNI. Crédito Paulo Barbuto.

 

CIRCO ZANNI

O palco do Sesc Palladium vai virar picadeiro para receber o Circo Zanni. O projeto fundado pelo ator Domingos Montagner e seus companheiros da Cia La Mínima destaca a tradição da arte circense com elementos contemporâneos. São números aéreos, de acrobacia, equilíbrio e magia, além é claro, da “palhaçaria clássica”. O Circo Zanni tem uma orquestra de palhaços!

[O QUE] Circo Zanni  [QUANDO] 24 de setembro, 11h e 19h [ONDE] Grande Teatro do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, BH, (31) 3270-8100) [QUANTO] Plateia I: R$ 60 (inteira), R$ 30 (meia) e R$ 24 (comerciário) Plateia II: R$ 50 (inteira), R$ 25 (meia) e R$ 20 (comerciário) Plateia III: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia) e R$ 16 (comerciário) [COMPRE AQUI] 

Espelho da Lua. Crédito Marco Aurélio Prates.

Espelho da Lua

Lendas da Amazônia inspiram o novo espetáculo da Cia Mário Nascimento. Em especial, causos sobre mulheres fortes e guerreiras. Segundo o material de divulgação quando os expedicionários europeus chegaram ao Brasil, encontraram um grupo de mulheres guerreiras que viviam isoladas e não aceitavam a presença de homens em seu território. Elas se pareciam com as amazonas da mitologia grega, tipo a Mulher-Maravilha. Espelho da Lua é sobre elas.

[O QUE] Espelho da Lua com Cia Mário Nascimento [QUANDO] 23 de setembro, 20h [ONDE] Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2244, Lourdes, (31) 3516-136) [QUANTO] R$24 (inteira) R$12 (meia) [COMPRE AQUI]

 

O Tempo dos Sonhos: A Arte Aborígene Contemporânea da Austrália. Assessoria divulgação.

 Tempo dos Sonhos: A Arte Aborígene Contemporânea da Austrália

A exposição montada na Casa Fiat de Cultura reúne um acervo de mais de 70 obras, entre pinturas, esculturas e outras representantes de peso da arte aborígene situadas entre abstração e a figuração. Os trabalhos australianos reunidos na mostra foram produzidos desde a década de 1970 e montam um panorama interessante sobre esse tipo de narrativa, tão distante da gente. Estão em BH criações de artistas importantes no país como Rover Thomas e Emily Kame Kngwarreye.

[O QUE] O Tempo dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália na Casa Fiat de Cultura [QUANDO] 19 de setembro a 19 de novembro de 2017, Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h [ONDE] Casa Fiat de Cultura (Praça da Liberdade, Praça da Liberdade, 10 – Funcionários) [QUANTO] Grátis