Culturadoria para o seu fim de semana: 03 de novembro

As apostas do Culturadoria incluem hits repaginados no palco do Palácio das Artes, musical consagrado, solos no teatro e duas estreias brasileiras no cinema. Uma é classica: Dona Flor e seus dois maridos volta à telona e tem também o segundo longa do talentoso diretor Felipe Barbosa.

 

Jota Quest Acústico, Músicas Para Cantar Junto. Crédito: Mauricio Nahas/Divulgação.

JOTA QUEST

Curva rara na trajetória de 20 anos, Músicas para cantar junto é a primeira incursão do Jota Quest em um projeto acústico. O repertório do combo CD + DVD lançado tem as canções mais conhecidas da banda. Tipo Fácil, Só Hoje, Amor Maior, Encontrar Alguém, Dias Melhores e outros tantos hits. A promessa é de um encontro cheio de memórias e tecnologia em imagens em um palco nobre para qualquer mineiro: o Grande Teatro do Palácio das Artes.

[O QUE] Jota Quest Acústico, Músicas Para Cantar Junto [QUANDO] 03 de Novembro,21h [ONDE] Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537, Centro, BH, (31) 3236-7400) [QUANTO] Plateia I R$180 (inteira) R$90 (meia) Plateia II R$150 (inteira) R$75 (meia) Plateia Superior R$110 (inteira) R$55 (meia).

BH in Solos. Crédito: Divulgação.

BH IN SOLOS

Não há como negar a força que todos os projetos que estimularam a criação de cenas curtas têm na história recente do teatro de BH. Por isso, sempre vale olhar com carinho e atenção eventos como o BH in Solos, que abre espaço para que monólogos nascidos de cenas curtas estreiem. Nesta edição (que vai até 12 de novembro) teremos trabalhos já consagrados (sim, podemos dizer isso!) pelo La Movida, sensacional projeto que movimentou a cena da capital em janeiro. São eles “Trombo”, de Carolina Corrêa, “Ondas de onde parto”, de Mariana Rabelo e “Sapato Bicolor”, do ator Fabiano Persi.

[O QUE] BH in Solos “Estreio para não parar” [QUANDO] 03 a 12 de novembro, 19h [ONDE] Teatro de Bolso do Sesiminas (Rua Álvares Maciel, 59, Santa Efigênia, BH, (31) 3241-7181) [QUANTO] R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia).

hacrinha, o musical. Assessoria divulgação.

CHACRINHA, O MUSICAL

O musical sobre Abelardo Barbosa já é o que podemos chamar de caso raro: são pelo menos três anos de sucesso no Brasil inteiro. Stepan Necerssian interpreta o velho guerreiro na fase áurea de Chacrinha como apresentador de TV. A montagem tem dramaturgia de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira, direção de Andrucha Waddington.

[O QUE] Chacrinha, o musical [QUANDO] 04 de novembro, 16h30, 21h ,05 de novembro, 16h [ONDE] Cine Theatro Brasil (Av. Amazonas, 315, Centro, BH, (31) 3201-5211) [QUANTO] R$ 150 [COMPRE AQUI]

H.U.L.D.A. Crédito: Divulgação

H.U.L.D.A

O que mais chama a atenção em H.U.L.D.A é a convidada ilustre: Ana Botafogo. A bailarina clássica mais famosa do Brasil. A montagem comemora os 40 anos da Cisne Negro Cia de Dança e presta merecida homenagem à sua fundadora, Hulda Bittencourt. É curioso porque os bailarinos dançam relatos da trajetória dela. Como será isso? Cada letra do nome dela se refere a um bloco do espetáculo. H, representa horizonte; U, de união; L, a liberdade; D, de dança e A, de amor.

[O QUE] H.U.L.D.A [QUANDO] 04 de novembro, 21h [ONDE] Sesc Palladium (Av. Augusto de Lima, 420, Centro, BH, (31) 3270-8100) [QUANTO] Plateia I R$ 60 (inteira) R$ 30 (meia) R$ 24 (comerciário) Plateia II R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia) R$ 16 (comerciário) Plateia III R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia) R$ 12 (comerciário) [COMPRE AQUI]

 

DONA FLOR  E SEUS DOIS MARIDOS

Durante muitos anos dono da maior bilheteria do cinema brasileiro (hoje a terceira maior de todos os tempos), Dona Flor e seus dois maridos chega mais uma vez à telona. Quem faz agora é a mesma turma que rodou o Brasil com o musical. Ou seja, direção de Pedro Vasconcelos com Marcelo Faria no elenco. Juliana Paes encara o papel que foi de Sônia Braga e Leandro Hassum (sim, o próprio das comédias) faz o marido caretão. A ver o que deu, né?

[O QUE] Dona Flor e seus dois maridos, com direção Pedro Vasconcelos e produção Downton Filmes

GABRIEL E A MONTANHA

Desde que fez Casa Grande meu radar sempre fica de olho nos trabalhos de Fellipe Barbosa. No segundo longa da carreira – vencedor de dois prêmios no Festival de Cannes – conta a história da viagem do amigo Gabriel Buchmann à África. É um filme que tem conquistado o público no exterior e agora chega ao Brasil.

[O QUE] Gabriel e a montanha, direção de Felipe Barbosa