Coleção de livros reúne peças inéditas e crônicas do diretor Eid Ribeiro

O diretor e dramaturgo Eid Ribeiro. Crédito: Athos Souza

O diretor e dramaturgo Eid Ribeiro. Crédito: Athos Souza

Não são um, dois ou três. São 15. Preste atenção, quinze textos teatrais assinados por Eid José Ribeiro Aguiar, ou simplesmente, Eid Ribeiro que agora saem em livro. Não há dúvidas do quanto ele é um criador relevante na construção e manutenção da nossa arte, do nosso teatro, do pensamento desse fazer cênico.

O lançamento da coleção essa quantidade (!) de peças chega tarde, mas em momento oportuno. Há tempos Belo Horizonte não via tamanha efervescência ligada à escrita teatral como agora. Graças a projetos como Janela de Dramaturgia e o trabalho da jovem editora Javali, de Vinícius Souza e Assis Benevenuto, em parceria com o Estúdio Lampejo. Foram eles que editaram a coleção Eid. Obrigada!

Eid Ribeiro com os parceiros da editora Javali e estúdio Lampejo. Crédito: Athos Souza

Eid Ribeiro com os parceiros da editora Javali e estúdio Lampejo. Crédito: Athos Souza

O lançamento será nesta quarta-feira em uma edição especial do Janela no Centoequatro. Os livros serão distribuídos a partir das 19h e às 20h começam as leituras feitas pelos atores do Grupo Armatrux.

As peças estão distribuídas em dois volumes e o terceiro livro da coleção reúne 48 crônicas publicadas no jornal O Tempo entre 1996 e 2001.

Entre os textos teatrais selecionados, fiquei feliz em saber da publicação de Lusco-fusco ou tudo muito romântico. Que montagem linda o próprio Eid Ribeiro fez nos início dos anos 2000. Tomara que outras pessoas se deixem tocar por essa dramaturgia assim como ele nos tocou na época. É uma peça que tem que ser feita e refeita.

 Gosto de dirigir para experimentar coisas que nunca fiz anteriormente. Sou um anarquista, graças a Deus”, Eid Ribeiro para Estado de Minas em Junho de 2014.

É bom saber também que existem dramaturgias inéditas, como Nightvodka e Tinto e a Baleia. A conferir.

 

Eid Ribeiro é um senhor de fala muito mansa e olhar atento. Tive o prazer de redigir um perfil dele, publicado no Estado de Minas em junho de 2014.

Lembro da delícia que foi passar uma tarde ouvindo as histórias do Eid. Dos tempos em que era lanterninha do cinema no interior, quando precisou se internar para tratar de uma tuberculose, dos tempos da ditadura e, claro, da admiração que ele tem pelas novas gerações do teatro mineiro.

 Serviço

O QUE? Lançamento da Coleção Eid Ribeiro. QUANDO? 07 de dez, 20h. ONDE? Centoequatro (Praça Rui Barbosa, 104 Centro). QUANTO? Grátis (inclusive a distribuição dos livros)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.