26 fev 2017

Em final confuso, Oscar 2017 consagra Moonlight e surpreende Hollywood

Equipe de La La Land recebe o prêmio equivocadamente. O real vencedor é Moonlight.

Foi o Oscar mais surreal da história. O que foi aquilo, gente?!?! Erram na hora de apresentar a categoria mais esperada. Deu zebra. Moonlight recebeu com atraso e com climão o grande prêmio da noite. Que avanço, Academia! Que bonito! Reconhecer o mérito de um filme que trata de questões importantes mas que antes eram desconsideradas pelo cinema. Em especial o produzido em Hollywood.

Nunca o Oscar começou em tão alto astral e terminou de maneira tão surpreendente. Justin Timberlake abriu a cerimônia já mandando ver com a canção indicada na trilha da animação Trolls. Colocou a galera para cantar e dançar.

Abriu alas para o apresentador Jimmy Kimmel. O estreante no posto chegou cheio de ironias. Falou sobre a transmissão da cerimônia para 245 países que agora nos odeiam. Citou o espinhoso tema da diversidade “As pessoas negras salvaram a NASA e as pessoas brancas salvaram o jazz”, disse em uma brincadeira com os filmes Estrelas além do tempo e La La Land.

Veja o momento em que o Oscar é entregue por engano à equipe de La La Land.

https://www.youtube.com/watch?v=v3RLFhwzUgk

Como é tradição, o apresentador provocou quase todos os indicados. Meryl Streep, claro, foi ovacionada. Jimmy, mais uma vez, ironizou: “Você vai fazer um discurso e o presidente dos estados unidos vai fazer um comentário no Twitter amanhã”.

Os protestos apareceram nos discursos porém de maneira bem mais leve do que eu pensei. O presidente Donald Trump foi cutucado. Mas sempre no tom televisivo do humor norte-americano.

O primeiro discurso da noite foi de Mahershala Ali, melhor ator coadjuvante por Moonlight: Sob a luz do luar. Ele foi no básico: agradeceu professores, empresário e a mulher grávida.

Mesmo sem o Oscar de melhor filme, La La Land foi o mais premiado. Foram seis estatuetas (direção, desenho de produção, fotografia, trilha sonora, canção e atriz).

Animais fantásticos e onde habitam tirou de La La Land a primeira possibilidade de prêmio ao vencer o Oscar de melhor figurino.

Os prêmios foram bem distribuídos. Vitórias de ‘A chegada’ na edição de som e ‘Até o último homem’ de Mel Gibson na mixagem deram sinais de que o favoritismo de La La Land já não era mais o mesmo. Lembrando que no Globo de Ouro o longa dirigido por Damien Chazele ganhou os sete prêmios para os quais estava indicado.

O ótimo ‘O apartamento’ levou o Oscar de melhor filme em língua estrangeira. O diretor Asghar Farhadi não foi em respeito aos iranianos impedidos de entrar nos EUA. Mandou um ótimo recado: “Dividir o mundo entre nós e os inimigos gera medo e justifica agressão e guerra. Essas guerras impedem o desenvolvimento da democracia. os cineastas podem usar as câmeras para mostrar qualidades humanas e romper estereótipos”.

Casey Affleck e Emma Stone confirmaram as apostas e conquistaram respectivamente os prêmios de atriz e ator. Manchester à beira-mar, protagonizado por Affleck, conquistou também o Oscar e roteiro original. A estatueta de roteiro adaptado foi para Moonlight, o filme que faz história: pela trama que conta, pela forma que narra, pelos temas que aborda e pela maneira como leva o maior prêmio da indústria cinematográfica.

Bravo, Academy. Foi um Oscar justo e bastante surpreendente!

Resultados do Oscar 2017

Melhor filme
“Moonlight: Sob a luz do luar”

Melhor diretor
Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)

Melhor roteiro original
“Manchester à beira-mar”

Melhor roteiro adaptado
“Moonlight: Sob a luz do luar”

Melhor ator
Casey Affleck (“Manchester a beira mar”)

Melhor atriz
Emma Stone (“La La Land – Cantando estações“)

Melhor ator coadjuvante
Mahershala Ali (“Moonlight: Sob a luz do luar“)

Melhor cabelo e maquiagem
“Esquadrão suicida”

Melhor figurino
“Animais fantásticos e onde habitam”

Melhor documentário
“O.J. Made in America”

Melhor edição de som
“A chegada”

Melhor mixagem de som
“Até o último homem”

Melhor atriz coadjuvante
Viola Davis (“Um limite entre nós”)

https://media4.giphy.com/media/l44Qgk6Gyd4H8Dd5K/giphy.gif

Melhor filme em língua estrangeira
“O apartamento”

Melhor curta-metragem de animação
“Piper”

Melhor animação
“Zootopia”

Melhor design de produção
“La La Land: Cantando estações”

Melhores efeitos visuais
“Mogli”

Melhor montagem
“Até o último homem”

Melhor documentário em curta-metragem
“The white helmets”

Melhor curta-metragem
“Sing”

Melhor fotografia
Linus Sandgren (“La La Land: Cantando estações”)

Melhor trilha sonora
Justin Hurwitz (“La La Land: Cantando estações”)

Melhor canção original
“City of stars” (La La Land: Cantando estações”)

John Legend interpreta a canção de La La Land

 

 

 

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

“Um Lugar Silencioso”: quando a seleção natural elimina os escandalosos

Se já chegou tarde em casa e teve que andar na ponta dos pés para não acordar todo mundo, você conhece este sentimento. Uma tentativa de evitar qualquer produção de ruído, como se sua vida dependesse disso. No caso dos personagens de “Um Lugar Silencioso”, novo filme de John Krasinski, realmente depende. Além de dirigir, […]

Leia Mais

Mostra Internacional de Cinema em BH dá visibilidade a representatividade LGBT

A transfobia, a vivência lésbica e o diálogo da religião com os LGBTs são alguns dos temas dos filmes que irão ocupar o Cine Humberto Mauro na 2ª Mostra Internacional de Cinema em Cores. Criado para dar mais visibilidade à população LGBT, o evento exibirá 19 produções audiovisuais entre os dias 6 e 10 de […]

Leia Mais

The Railrodder com trilha executada ao vivo encerra Mostra Buster Keaton

Foram 28 dias que Cine Humberto Mauro dedicou a Buster Keaton. Ele foi escolhido para marcar o início das comemorações dos 40 anos da sala. “Buster Keaton, o acrobata do Riso” exibiu mais de 50 filmes, com sessões diárias. O encerramento do evento foi épico: “The Railrodder”, no Grande Teatro do Palácio das Artes com […]

Leia Mais

Comentários